domingo, 31 de março de 2013

Páscoa Judaica



Segundo a tradição judaica, há mais de quatro mil anos, Abraão – o grande patriarca dos judeus – era um dos habitantes da cidade de Ur. Nessa época, toda aquela região era tomada por religiões politeístas que prestavam rituais e as mais variadas homenagens a uma extensa gama de deuses. Foi nesse tempo que, seguindo ao chamado divino, este lendário patriarca abandonou a sua terra natal em busca de Canaã, a terra prometida aos que seguissem o chamado do único e verdadeiro Deus.

Atendendo ao chamado do seu Deus, Abraão alcançou a terra de Canaã e por lá fundou os primeiros descendentes do povo judaico. No entanto, um período de grande estiagem e falta de alimentos forçou os judeus a se transferirem para o Egito em busca de melhores condições de vida. Após uma chegada relativamente amistosa, os hebreus acabaram sendo transformados em escravos dos egípcios e, desse modo, estiveram subjugados durante um bom tempo.

Em tempos de opressão, o governo egípcio ordenou certa vez que toda a população de bebês hebraicos fosse exterminada. Foi nessa época que o jovem Moisés escapou desse terrível decreto ao ser colocado em um cesto que vagueou pelas águas do rio Nilo. Encontrado pela filha do faraó, o jovem acabou sendo criado como um dos súditos da família real. Ao atingir a idade adulta, Deus teria surgido em um arbusto ordenando que ele promovesse a libertação definitiva dos judeus do Egito.

Negando-se a atender ao pedido divino, o faraó foi alertado que sua intransigência seria severamente castigada com o envio de dez pragas que assolariam a população egípcia. Após sofrer com tamanha maldição, o governo egípcio permitiu que os hebreus saíssem daquela terra e voltassem até Canaã. Ao conseguirem tamanha proeza, os judeus determinaram aquela data como uma das mais importantes de seu calendário religioso.

Conhecida como pessach, a Páscoa Judaica celebra a libertação do Egito e reitera o laço para com o Deus que teria possibilitado a execução daquela memorável vitória. Ao longo do tempo, observamos que essa celebração vai ganhando contornos mais estáveis e se aproximando dos eventos e rituais que hoje marcam tal celebração. Para alguns estudiosos, a celebração de tal evento foi crucial para que a comunidade judaica preservasse seus laços nos mais diferentes lugares em que viveram e ainda vivem.

Na noite de celebração da páscoa, as casas devem estar limpas e arrumadas, e todo um conjunto específico de talheres é utilizado na celebração. Além disso, qualquer tipo de alimento fermentado tem o seu consumo proibido. No dia antes do pessach, a família deve jejuar em homenagem aos primogênitos que não foram atingidos pela última das maldiçoes egípcias. Daí em diante, várias refeições e narrativas são intercaladas como forma de se reforçar o significado da páscoa para os judeus.

Cada um dos alimentos empregados relembra a experiência que os judeus tiveram no tempo em que viveram no Cativeiro do Egito, as dez pragas impostas e os milagres divinos que os retiraram daquele lugar. Em diversas ocasiões, vemos que a participação das crianças reforça o ideal de renovação das tradições e sugere que elas internalizem o significado daquela solenidade.

Por Rainer Sousa
Graduado em História
Equipe Brasil Escola

Páscoa pelo mundo


Na Suécia, a Páscoa parece mais um Halloween adaptado. As famílias viajam para suas casas de campo e vestem as crianças de bruxas. Fantasiadas, elas vão de casa em casa pedindo doces e presentando os moradores com desenhos e pinturas.
As “bruxinhas de Páscoa” têm as bochechas pintadas de vermelho e usam lenços coloridos na cabeça e roupas velhas. Elas ainda ganham dos pais ovos de Páscoa recheados com mais doces. Também é comum decorar as casas com galhos de bétula enfeitados com penas coloridas.

sábado, 30 de março de 2013


A MENINA E O COELHO
Mírian Warttusch

Quem não vai se apaixonar
Por esta linda menina?
Gosta de gato e coelho,
Lição de vida ela ensina.

Parece que esse coelho,
Adorou o cobertor!
Dormiu no colo da Bia
Com todo o maior amor!

Aquecidinho e feliz,
Ele não quer outra vida.
Foi adotado e mimado,
Pela menina querida!

Trocou a vida no campo,
Pra vir morar na cidade.
Vida boa, esse coelho!
Está feliz de verdade!

Nem pensa em voltar pra lá...
Com toda essa mordomia,
Coisas que esse coelho,
Na toca não conhecia.

Bichinho de estimação,
Tem que ser tratado assim...
Casa, carinho e cenoura,
E um amor que não tem fim!

Esse coelho é matuto,
E vai nos surpreender,
Um monte de Ovos de Páscoa,
Na certa ele vai trazer!

Não podemos esquecer,
Em nossa Páscoa de luz,
De quem ascendeu aos céus,
Que por nós morreu na cruz,

Seja de muita oração,
Para Ele, nesse dia,
Pai Nosso que estais no céu,
Juntinho de Mãe Maria!

RAY CHARLES "I Can't Stop Loving You"

Tradição de malhar Judas no Sábado de Aleluia é mantida em Alagoas


O Sábado de Aleluia é o dia da malhação de Judas, tradição em todo país, trazida pelos espanhóis e portugueses para toda a América Latina. Com o passar dos anos, a tradição continua viva na periferia de Maceió. Mesmo após a morte do marido, há cinco anos, Dona Maria do Carmo contagia todos na Vila do Amparo, no bairro do Vergel, e mantém viva a tradição.

Há mais de 30 anos, a família da Dona Maria confecciona bonecos.
Crianças e adultos ajudam na montagem dos Judas.


“Levamos mais de uma semana para fazer esse boneco. Ele é feito com espuma e gesso. Já as roupas, são doadas pela própria comunidade”, afirmou Dona Maria do Carmo.
Nos relatos bíblicos, Judas Iscariotes, que integrava o grupo de apóstolos de Jesus, foi o responsável por entregar Cristo aos soldados que o levaram para ser crucificado. Judas indicou Jesus com um beijo no rosto. Pela traição, o apóstolo recebeu 30 moedas de ouro. A passagem bíblica marca um dos maiores casos de traição da história da humanidade e, por isso, faz os cristãos, anos após ano, reviverem a cena.

Fonte: http://g1.globo.com/al/alagoas/

sexta-feira, 29 de março de 2013

Exposição em São Paulo tenta popularizar os games como expressão cultural


Todo gamer sabe que os jogos eletrônicos podem – e devem – ser considerados universalmente como um item de forte teor cultural. E mesmo que esse pensamento ainda não esteja bem formado na cabeça da maior parte dos brasileiros, há pessoas que estão dispostas a criar ações radicais para tentar mudar isto, e a mostra Play!, que está ocorrendo em São Paulo capital, é a maior prova disto.
A exposição (aberta desde o dia 25 de março e com encerramento previsto para 7 de abril) faz parte do projeto "Galeria de Arte Digital”, uma iniciativa idealizada pela Verve Cultural e adotada pela SESI-SP que visa transformar o edifício da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), localizado na Av. Paulista, em uma enorme galeria a céu aberto. O resultado foi a implantação de 26 mil clusters de LED na superfície do prédio, transformando-o em uma espécie de monitor público e de formato nada convencional.
Contudo, o destaque fica realmente para as obras em exposição. Todas as peças que fazem parte da mostra Play! são jogáveis e foram baseadas em games clássicos dos anos 80 e 90, como Enduro, Space Invaders, Tetris e PacMan, levemente alterados para mostrar aspectos da vida urbana contemporânea de uma forma mais divertida e criativa. A obra "Paulista Invaders", por exemplo, coloca o jogador na pele de um ciclista que deve sobreviver a "invasão" do trânsito violento da metrópole brasileira.
Além de promover a interação entre o público, resgatar a diversão dos antigos jogos que marcaram época e instituir um melhor uso do espaço público para divulgação de peças culturais, a exposição também procura popularizar os games como uma forma de expressão artística. Entre os artistas que assinam o catálogo da mostra, encontram-se Alberto Zanella, Andrei Thomaz, Suzete Venturelli e as equipes Midialab-UnB (Brasil), Les Liens Invisibles (Itália), Lummo (Espanha) e Mark Essen (Estados Unidos). A curadoria é da artistas plástica Marília Pasculli.


Leia mais em: http://www.tecmundo.com.br/jogos/38117-exposicao-em-sao-paulo-tenta-popularizar-os-games-como-expressao-cultural.htm#ixzz2OwWcJeGF

“A Paixão de Cristo” no Centro Dragão do Mar



Fortalezenses e turistas em visita à capital terão a oportunidade de assistir à apresentação teatral “A Paixão de Cristo” em um formato diferente, ao ar livre, em apresentações gratuitas na Praça Verde do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. Os espetáculos serão encenados na sexta (29) e no sábado (30), sempre às 18 horas, pelo grupo de atores do tradicional Grupo de Teatro Comédia Cearense.
A organização do evento estima um público diário de oito mil espectadores, que terão a oportunidade de assistir a um espetáculo cristão e ecumênico, de amor e fé, que emociona todas as pessoas. A montagem tem aproximadamente duas horas de duração e conta com um elenco de 31 atores, em sua maioria nomes consagrados das artes cênicas cearenses, como Fernanda Quinderé, o casal Haroldo e Hiramisa Serra, Ary Sherlock, Walden Luiz, Paulo César Cândido, entre outros.
“Pétalas - a maior história de amor de todos os tempos”
O grupo de teatro Pavilhão da Magnólia apresenta sua versão da paixão de Cristo. Até 31 de março, em diversos bairros da Capital e Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), o espetáculo “Pétalas - a maior história de amor de todos os tempos” vai ganhar as praças de quatro cidades cearenses.
Através do Teatro de Rua, com foco nos elementos da cultura popular nordestina, o grupo reconta a  história sem ligações com religião. O grupo traz questionamento de várias problemáticas sociais contemporâneas, sem deixar o bom humor de lado.
Em Fortaleza, os bairros Ancuri, Parangaba, Pici, Granja Portugal, João XIII, Maracanaú, Itaperi e Dias Macedo vão receber apresentações. Além disso, Maranguape, Iparana, Itaitinga e Maracanaú também estão na rota do grupo. No total, serão onze apresentações, todas gratuitas.
Fonte: g1.globo.com

quinta-feira, 28 de março de 2013

Festival do Minuto


Faça uma animação de até 1 minuto!
Inscrições até 30 de abril.
Premiação:
R$ 1.000,00 ao melhor vídeo.
Poderá ou não haver votação do público, a critério da curadoria. O voto do público funciona da seguinte forma:
A curadoria escolhe e premia os melhores vídeos do ANIMAÇÃO.
Depois de divulgado o prêmio da Curadoria, o público escolhe qual vídeo é o melhor. A votação é feita pela nossa página do Facebook! O vídeo com maior número de opções "curtir" dentro do prazo estipulado pelo Festival do Minuto leva o prêmio determinado pela curadoria.
Minuteen
Se você tem até 14 anos deve participar com o seu vídeo através do site do Minuteen: www.minuteen.com.br

Platão nasceu em Atenas, provavelmente em 427 a.C. e morreu em 347 a.C foi um filósofo e matemático do período clássico da Grécia Antiga, autor de diversos diálogos filosóficos e fundador da Academia em Atenas, a primeira instituição de educação superior do mundo ocidental.Juntamente com seu mentor, Sócrates, e seu pupilo,AristótelesPlatão ajudou a construir os alicerces da filosofia natural, da ciência e da filosofia ocidental.

"Tente mover o mundo - o primeiro passo será mover a si mesmo"
Platão.

quarta-feira, 27 de março de 2013

Lollapalooza 2013: mais de trinta horas de rock Com três dias de duração, o festival leva cerca de oitenta atrações ao Jockey Club



Na primeira vez em que Mike Patton esteve no Brasil com o Faith No More – no Rock in Rio 2 –, o presidente era Fernando Collor de Mello, “Esqueceram de mim” passava no cinema, o rádio tocava “Justify my love”, da Madonna, e guerra dos Estados Unidos contra o Iraque era outra, a do Golfo. Era 20 de janeiro de 1991, e desde então o músico regressou outras sete vezes para shows ou turnês. A nona visita oficial acontece neste sábado (30), no Lollapalooza, onde ele se apresenta com o projeto Tomahawk.
O festival traz outra atração que tem se tornado frequente por aqui. Também no sábado (30), oFranz Ferdinand vem para sua sexta passagem. A diferença é que o quarteto escocês chegou mais recentemente, em 2006. O presidente era Luiz Inácio Lula da Silva, “O segredo de Brokeback Mountain” passava no cinema e o rádio tocava “You’re beautiful”, do James Blunt.
Tanto Mike Patton quanto o Franz Ferdinand são candidatos ao “troféu Jimmy Cliff” deste Lollapalooza. A distinção leva o nome do jamaicano que se apresentou incontáveis vezes no Brasil e se tornou uma espécie de paradigma (talvez inigualável) nesse departamento. Cabe citar que William Naraine, que se apresenta no festival como DJ, é hors-concours. O integrante do Double You tem até casa no Brasil. 

Expedição Gastronômica


A Expedição Gastronômica Brasileira desbravou seis estados – Rio de Janeiro, Minas Gerais, Pernambuco, Amazonas, Ceará e Rio Grande do Norte – entre os meses de abril e junho, com o intuito de compreender e destacar a diversidade das técnicas e ingredientes utilizados em cada localidade; através de uma abordagem intimista com seus produtores.
Os resultados dessa saborosa viagem podem ser conferidos no blog e também durante o próprio festival, quando será lançado o livro "Ingredientes e Produtores do Brasil – A Nova Gastronomia Nacional" com textos da jornalista Guta Chaves.
Como de costume, o Festival de Gastronomia de Tiradentes 2012 apresentará um repertório variado: workshops, cursos, degustações, exposições e shows. Toda a programação contará com atrações dos estados percorridos pela Expedição Gastronômica, como grupos musicais, de teatro e profissionais circenses. Uma novidade deste ano será a Feira Livre, onde os participantes poderão comprar produtos peculiares de cada região visitada pela equipe do festival.
Os tradicionais festins – jantares preparados por renomados chefs da cena brasileira e internacional – acontecerão nas noites de sextas-feiras e sábados nas Pousadas da cidade.  O destaque desta edição vai para chef catalão Jordi Roca, do Restaurante El Celler de Can Roca, de Girona, na Espanha. Inovador e audacioso, Roca ficou conhecido mundialmente por criar os perfumes comestíveis, sobremesas com fragrâncias famosas, como Channel, Guccci e Calvin Klein.

http://www.guiatiradentes.com.br/

Frank Sinatra Forever

terça-feira, 26 de março de 2013

Centro da Cultura Judaica apresenta: Carlo Levi – pintor, escritor e antifascista italiano


Curadoria/ Guido Sacerdoti e Antonella Lavorgna

Esta exposição do pintor Carlo Levi ilustra os vários aspectos da complexa personalidade desse artista, geralmente conhecido como autor do livro "Cristo parou em Eboli." Composta de 53 telas, um conjunto de 15 fotografias que ilustram sua trajetória pessoal, sua vida familiar e amigos, exemplares de edições de suas obras literárias, alem de correspondências mantidas com personalidades marcantes do século XX, a exposição abrange o período de 1929 a 1973.
Entre autorretratos, retratos, paisagens, naturezas mortas, nus, sujeitos híbridos, as telas oferecem uma visão exaustiva dos principais "períodos" da pintura de Levi e sua peculiar posição entre os pintores "figurativos", no século da "arte avant-garde" e da arte experimental. Estas obras constituem também uma rica leitura da história do século XX, já que as obras de Levi, mesmo quando relacionadas a esfera familiar, como os 29 retratos, nos convidam a refletir sobre momentos cruciais da história coletiva do século passado: da resistência ética, antes que política, ao fascismo, à condição de confinamento, às tragédias da guerra, ao pós guerra onde a cultura volta a ser “internacional” e, em muitos casos, necessariamente "posicionada” com um dos dois blocos. Alem disso, os estreitos laços entre a pintura e as obras literárias (ensaios e poesia)  de Carlo Levi são evidenciados através da exposição das primeiras edições de seus livros.
Destacam-se alguns dos temas centrais de sua obra, tais como:
- as raízes judaicas da cultura de Levi (não só através do uso de temas bíblicos e retratos de membros da família);
-  a sua cultura liberal;
- a sua interpretação da guerra, da ditadura, e do Holocausto;
- a sua original perspectiva antropológica sobre a "civilização camponesa" (núcleo da exposição: algumas pinturas do exílio em Lucania);
- as suas atividades antifascistas (com retratos de mártires como Carlo Rosselli e Leone Ginsburg);
- a sua especial atenção para os problemas da emigração, a ameaça nuclear, as guerras imperialistas (Vietnã).
    

Serviço

Exposição/ Carlo Levi – pintor, escritor e antifascista italiano - Obras selecionadas de 1926 a 1973
Datas/ de 23 de março a 23 de junho
Local/ 1º andar
Horário/ das 12h às 19hs - terça a domingos e feriados
Classificação/ Livre
Entrada gratuita

Sobre Carlo Levi

Nascido em Turim, em 29 de novembro de 1902, filho de Ercole Levi e de Annetta Treves. Estuda no Liceo Alfieri de Turim, sendo contemporâneo de Leone Ginzburg, Massimo Mila, Giulio Einaudi, Giaime Pintor e Cesare Pavese. Em 1924, gradua-se em Medicina. Em 1918 conhece Piero Gobetti, colabora com a revista “La Rivoluzione Liberale” e começa relações com os anti-fascista de Turim.
Em 1929 é criado em Paris o grupo “Justiça e Liberdade” (entre os fundadores, os irmãos Rosselli, Emilio Lussu, Gaetano Salvemini e Ernesto Rossi), do qual Levi se torna um dos importantes expoentes em Turim; participa, em 1931, da elaboração do Programa Revolucionário de Justiça e Liberdade. Colabora com alguns artigos e transforma suas frequentes viagens a Paris como pintor em contatos arriscados com os exilados antifascistas.
Carlo Levi se interessa pela pintura e expõe pela primeira vez em 1923, na Quadrienal de Turim; e conhece Felice Casorati, através de Piero Gobetti. Participa da Bienal de Veneza (1924). Em 1925, conhece em Turim, o crítico Edoardo Persico; iniciam suas frequentes estadias em Paris. Em 1929 expõe com o grupo dos “Seis de Turim” - apoiados por Persico e pelo historiador de arte e crítico, Lionello Venturi – em Turim, Gênova e Milão; no ano seguinte, na Bloomsbury Gallery de Londres. 
Em 1931, participa da I Quadrienal de Roma e de uma exposição coletiva de arte italiana perto de Nova Iorque. Conhece Guttuso, e com Enrico Paulucci, começa a se interessar também por direção de arte e roteiro. De 1932 a 1934 permanece quase que exclusivamente em Paris. A sua primeira exposição individual na capital francesa (1932) foi organizada pela Galeria Jeune Europe.
É preso em março de 1934, pelo seu envolvimento com o movimento  “Justiça e Liberdade”. Libertado em maio, recebe uma advertência de dois anos o que acarreta a revogação de seu convite para a Bienal de Veneza, apesar da carta de solidariedade assinada por importantes artistas franceses como Léger, Chagall e Derain. Em 15 de maio de 1935 é novamente preso e condenado a três anos de confinamento em Lucânia, Grassano e Aliano.
Em maio de 1936, por ocasião da Proclamação do Império, é autorizada a sua saída do confinamento. Nesse ano, uma exposição individual é organizada em Milão, na Galeria del Milione, e em Roma, na Galeria della Cometa (1937). No mesmo ano, Levi é incluído na coletiva Anthology of Contemporary Italian Painting, em Nova Iorque, onde também foi organizada uma exposição individual (1938). Em 1939 é forçado a fugir para a França, em razão das leis raciais vigentes. Retorna em 1941, e passa a viver em Florença. Exerce um papel de liderança no Partido de Ação; novamente preso na primavera de 1943, é libertado em 26 de julho do mesmo ano; torna-se  membro do Comitê Toscano de Liberação e codiretor do jornal florentino “La Nazione del Popolo”, órgão do CLN.
Publica em 1945,“Cristo parou em Eboli”, escrito em Florença nos últimos anos da guerra sobre a sua experiência de confinamento. É seu livro mais famoso e traduzido em vários idiomas. Em junho desse ano, muda-se para Roma, onde dirige o “L'Italia libera”, órgão nacional do Partido de Ação. Retoma sua atividade como pintor, com trabalhos individuais expostos na Itália e, em 1947, em Nova Iorque, na galeria Wildenstein Gallery, alem de participar em importantes revistas. Tem uma sala especial na Bienal de Veneza de 1954. A atividade artística continua intensa nas décadas de 1950 e 1960, somada à constante produção literária e presença no cenário político.
Em 1950 publica “O relógio”. Visita a URSS (1955), Índia (1956) e China (1959). Publica “As palavras são pedras (três dias na Sicília)” (1955), “A noite dupla das tílias” (1959) “Um rosto que se parece conosco (Retrato da Itália)” (1960)  e “Todo o mel acabou” (1964).
Para a exposição “Itália 61”, em Turim, pinta um painel com cerca de 18 metros sobre a Lucânia. Em 1963 é eleito senador pelo Partido Comunista Italiano; faz parte da Comissão parlamentar Instrução Pública e Belas Artes. Reeleito nas eleições de 1968.
Em 1973, sofre um descolamento de retina. Mesmo com cegueira temporária, realiza 140 desenhos e escreve “Caderno a portões”, publicada postumamente. Uma exposição de sua produção figurativa é organizada em 1974no Palazzo del Te de Mantova, poucos meses antes de sua morte.
Realiza uma obra, com os artistas Guttuso e Cagli, sobre o massacre das Fossas Ardeatine: Cagli ilustra a opressão, Guttuso o massacre, Levi a liberação. Estas obras são doadas ao complexo monumental das Fossas Ardeatine.
Morre em Roma em 04 de janeiro de 1975, após passar alguns dias em coma. É sepultado em Aliano, na região Basilicata.

segunda-feira, 25 de março de 2013


"Como assinala Norberto Bobbio, é simples: são de direita todos aqueles que consideram a desigualdade social aceitável. E de esquerda todos aqueles que a consideram uma abominação a ser erradicada" ( Frei Beto)

domingo, 24 de março de 2013

O Canta Vale

O Canta Vale – Projeto em Defesa da Cultura Popular no Vale do Rio São Francisco, estará recebendo de 20 de março a 30 de junho de 2013, inscrições de propostas musicais de todo o território nacional para se apresentarem no “PALCO SONS DO BRASIL”. 
O evento acontecerá durante a realização da 3ª Virada Cultural de Bom Jesus da Lapa no período de 03 a 05 de agosto de 2013, Praça Publica.
 Regulamento: www.festivaisdobrasil.com.br / Facebook: Mostra de Música Popular Brasileira Palco Sons do Brasil. *77 9931-3027 - *77 9935-5255

OBJETIVOS : 

O objetivo do projeto é mobilizar artistas das varias regiões do país, para montar um mosaico artístico com a diversidade musical do Brasil e apresentá-lo para o grande público formado por “ROMEIROS E TURISTAS” durante os Festejos da Romaria do Bom Jesus da Lapa, conhecida nacionalmente como a terceira maior peregrinação católica do Brasil.
O evento acontecerá durante a realização da 3ª Virada Cultural de Bom Jesus da Lapa no período de 03 a 05 de agosto de 2013, Praça Publica.
Regulamento: www.festivaisdobrasil.com.br / Facebook: Mostra de Música Popular Brasileira Palco Sons do Brasil. *77 99313027- *77 99355255

REGULAMENTO

DAS INSCRIÇÕES

1) O Proponente poderá enviar apenas (01) uma proposta de Artista Solo, Banda ou Grupo de qualquer estilo musical do território nacional, para a SELEÇÃO MOSTRA DE MÚSICA POPULAR BRASILEIRA “PALCO SONS DO BRASIL”, desde que o seu projeto esteja patrocinado em qualquer Lei de incentivo: Federal, Estadual, Municipal, Iniciativa Privada ou Recurso Próprio.
2) As propostas deverão ser enviadas encardenadas, com as seguintes informações: comprovante de patrocínio, Release, repertório do show, mapa de palco, fotografia digital, 04 músicas do repertório gravadas em CD ou DVD, nomes e documento de identidade de todos os envolvidos.
3) A autorização para execução de repertórios de outros artistas e as despesas referentes ao ECAD é de inteira responsabilidade do proponente.
4) Só serão aceitas as proposta com até 05 músicos no palco. O tempo do show será de 01h20minutos.
5) Será cobrada uma taxa no valor de R$ 50,00 (cinqüenta reais) que deverá ser depositada no ato da inscrição na AG/Nº 0784, , Operação: 006, C/C Nº1298-8- Caixa Econômica Federal, Titular: Fundação Cultural Vale do Rio São Francisco- FUNDASF.
6) A cópia do deposito deverá ser enviado juntamente com o solicitado no item 02 das inscrições em envelope lacrado via SEDEX, para o seguinte endereço: SELEÇÃO MÚSICA POPULAR BASILEIRA - PALCO SONS DO BRASIL, 3ª Virada Cultural de Bom Jesus da Lapa – Bahia, Caixa Postal 051, CEP 47600-000.

DOS CRITÉRIOS DE CLASSIFICAÇÃO

1) As propostas serão avaliadas por uma comissão composta por técnicos da área de música. Os mesmo levarão em conta para o processo de triagem o seguinte aspecto: A qualidade técnica da proposta com base nas informações solicitadas no item 02 das inscrições.
2) Serão escolhidas 10(dez) propostas para se apresentarem no palco ‘SONS DO BRASIL’. A relação das propostas selecionadas será publicada no site: www.festivaisdobrasil.com.br no dia 15 de julho de 2013, com informações das datas e horários das apresentações.
3) O responsável pela proposta selecionada, obrigatoriamente deverá enviar para a produção do evento a sua confirmação através do endereço eletrônico: projetocantavale@yahoo.com.br,  ou do FAX: *77 3481-4135, até o dia 20 de julho de 2013. O não atendimento desse item ocasionará a desclassificação da proposta.

DA INFRAESTRUTURA DO EVENTO

1) Sonorização, palco com bateria e percussão, iluminação, técnico de som, assistente de palco, espaço exclusivo para venda de produto na data da apresentação.

DA DIVULGAÇÃO

As Imagens e áudios das propostas selecionadas serão divulgadas através do plano de mídia do evento a partir do dia 21 de julho de 2013.

DA PREMIAÇÃO

1) A coordenação premiará o melhor show no palco. O julgamento será feito por um corpo de jurado que utilizará os seguintes critérios: (o repertório, a qualidade técnica dos músicos, a interatividade com o publico). O resultado será pronunciado no dia 05 de agosto de 2013, logo após a última apresentação do evento.
2) O vencedor receberá no dia 06 de agosto de 2013, o prêmio no valor de R$ 2.000,00 (dois mil reais) e os demais receberão o valor de R$1.000,00 (mil reais) a título de ajuda de custo, dessa forma a coordenação ficará isenta de quaisquer outras despesas, inclusive transporte, hospedagem e alimentação.

DA DISPOSIÇÃO FINAL:

1.        A inscrição efetuada implica plena aceitação de todas as condições estabelecidas neste Edital.
2.        Outros esclarecimentos podem ser obtidos pelo endereço eletrônico: projetocantavale@yahoo.com.br ou pelo telefone (*77) 9931-3027 – (*77)9935-5255.

 
        

Vale a Pena Ler


Renato Fernandez sempre sonhou em ter um filho homem, já era pai de três filhas. O nascimento de Suzana foi para ele, a maior frustração de sua vida. As fofocas dos conhecidos a respeito da legitimidade de sua paternidade intensificaram sua decepção. A advogada Dra. Regina Magrini, esposa de Renato Fernandez, preferiu que ele tirasse suas próprias conclusões. Sem ter noção do que estavaacontecendo, Suzana sempre procurava a atenção paterna. As demais filhas do casal (Samanta, Simone e Samara) preferiram apoiar a mãe. Uma história envolvente que procura mostrar a influência dos filhos na vida conjugal e o amor incondicional de uma criança. Leia Suzana, um verdadeiro exemplo de vida. 

Suzana

Autor: Gilmarinho

Segmento: Literatura

242 Páginas
Formato: 14x21 cm
Edição:2013
Editora: Nelpa

Eternamente Gilson

Fúrias de Titãs

Veteranos, Bira e Demônios da Garoa fazem temporadas de shows em SP



A banda sambista --repaginada com alguns filhos de membros das formações clássicas-- interpreta clássicos de compositores como Vinicius de Moraes e Dorival Caymmi.
Célebre por acompanhar Adoniran Barbosa, o grupo naturalmente lembra sucessos do lendário compositor, como "Trem das Onze", nos shows que acontecem às quintas, às 21h, no Quintal do Espeto (zona sul de São Paulo. Os ingressos custam R$ 40.
Patrimônio paulistano, o quinteto sambista --repaginado com alguns filhos de membros originais-- interpreta clássicos de compositores como Vinicius de Morais e, claro, Adoniran Barbosa, como "Trem das Onze"
Bira, por sua vez, surpreende no Terraço Itália (centro de SP - informe-se sobre o evento ). Notório por integrar a banda do programa de Jô Soares, o baixista revela sua veia "crooner" em temporada ao lado do Quinteto de Jazz, às quintas, às 21h. Os ingressos custam R$ 30.
Entre os temas --principalmente "standards" de jazz e de bossa nova--, Bira entretém o público com histórias sobre as canções, os músicos e sua carreira.

Fonte: http://guia.folha.uol.com.br/shows

sábado, 23 de março de 2013

5 dicas para escrever um livro


Escrever um livro não é uma tarefa fácil. Isso leva tempo, disposição, noites sem dormir e muita dedicação. Desenvolver um livro tampouco é uma tarefa impossível. Você pode se inspirar nas dicas dos autoresfamosos que já contaram as suas técnicas de escrita e processos de criação. Se você tem o sonho de escrever um livro, mas não tem ideia por onde começar, confira a seguir as  5 dicas para escrever um livro:
1. Escolha um tema que você goste muito
Na hora de selecionar o tema da sua obra, escolha um tema que você simplesmente não consiga parar de falar sobre. Se você ficar entediado depois de duas semanas, a dica é escolher um novo tema.
2. Faça um esboço
Pense como você poderia resumir sua ideia de livro em uma apresentação do PowerPoint. Esboços e resumos de capítulos vão te ajudar a desenvolver um projeto de pesquisa. É uma forma de ver como suas ideias vão ficar no papel.
3. Faça um calendário
Analise quantas semanas você vai precisar para terminar esse projeto. Isso vai ajudá-lo a alcançar as suas metas e finalizar a obra no tempo certo.
4. Pergunte a opinião
Faça pesquisas de mercados com várias pessoas e veja qual a opinião delas sobre o conteúdo do livro. Isso pode te ajudar a desenvolver melhor a história.
5. Uma boa edição
Uma boa edição determina a qualidade de um bom livro. Se você deseja ter uma boa história, peça para que ele seja editado por outras pessoas além de você.
http://canaldoensino.com.br

Dedé Paraizo faz homenagem a Wando em show no Quintal do Espeto


Na segunda-feira, 25 de marçoDedé Paraizo, integrante do grupo Demônios da Garoa, faz uma homenagem a Wando em show especial. O show conta com um telão que exibe o cantor para um dueto dos dois músicos. Além de tocar e cantar músicas do homenageado, Dedé interpreta sucessos como "Não deixe o samba morrer",  "Coral de anjos", "Retalhos de Cetim" e "Saudosa Maloca. 

Quintal do Espeto - Avenida Das Carinas, 520, Moema - São Paulo, SP

CategoriaMPB
Preço: Couvert artístico de R$10,00
Horário: 20:30 

Mostra Marco Camarotti chega ao último fim de semana


Os espetáculos Le Petit - Grandezas do ser e Algodão Doce fecham a programação da 3ª Mostra Marco Camarotti de Teatro para a Infância e Juventude, neste final de semana. O primeiro é um estreia da Cia Circo Godot de Teatro, com encenação assinada por Quiercles Santana. No palco, o ator Damiano Massaccesi e ainda Andrêzza Alves, Flávia Fernanda, o próprio Quiercles Santana e Rafaela Fagundes, que fazem manipulação de objetos. 

A apresentação acontece neste sábado (23), às 16h, no Teatro Marco Camarotti, no Sesc Santo Amaro. Os ingressos para a 3ª Mostra Marco Camarotti de Teatro para a Infância e Juventude custam R$ 10 e R$ 5 (meia-entrada), mas escolas públicas com prévio agendamento não pagam. O agendamento pode ser feito através do telefone (81) 3216-1728.

A montagem de Le Petit é inspirada no universo do Pequeno Príncipe, o mais famoso personagem de Antoine de Saint-Exupéry. É uma fábula em que a corrida contra o relógio, a fidelidade a um amigo doente e o medo da solidão são os princípios dramatúrgicos para ações que se transformam numa narrativa lúdica e poética. 

Já no domingo (24), no mesmo horário, o festival termina com o espetáculo que comemora os 25 anos da trajetória do Mão Molenga Teatro de Bonecos, grupo homenageado pela Mostra. Algodão doce é uma montagem infanto-juvenil de teatro-dança e de formas animadas, em que atores-manipuladores, bailarinos, bonecos e objetos ilustram o processo de construção da chamada Civilização de Açúcar. No elenco, Elis Costa, Íris Campos, Fábio Caio, Fátima Caio e Marcondes Lima.

Fonte:http://ne10.uol.com.br/canal/cultura/noticia/2013/03/21/

quarta-feira, 20 de março de 2013

Dire Straits - Sultans of Swing Live 1992

Adeus Emílio

Emílio Santiago morreu na manhã desta quarta-feira, 20. O cantor - que estava internado no CTI do Hospital Samaritano, em Botafogo, na Zona Sul do Rio, desde o dia 7 deste mês - veio a óbito às 6h30, vítima de complicações no quadro de AVC isquêmico, segundo nota assinada pelo médico Márcio Ananias, enviada pela assessoria de imprensa do hospital. Ele tinha 66 anos.

Fonte: http://ego.globo.com

segunda-feira, 18 de março de 2013

6º Festival Ibero-Americano de Teatro


Na mostra gratuita, são encenadas 14 peças de diversos gêneros de grupos teatrais de sete países ibero-americanos: Brasil, Argentina, Chile, Espanha, Portugal, Bolívia e México. Lima Duarte e Gregório Duvivier participaram do evento. Local:Memorial da América Latina - Auditório Simón Bolívar - platéia A Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664, portões 13 e 15 - Barra Funda - Oeste. Telefone: 3823-4600.

domingo, 17 de março de 2013

MAM - SP


O Museu de Arte Moderna de São Paulo apresenta uma exposição que possibilita novas leituras de seu acervo por meio do diálogo com cinco videoinstalações históricas da coleção do Centre Georges Pompidou, de Paris. Circuitos cruzados: o Centre Pompidou encontra o MAM traz cerca de 50 obras de artistas como o coreano Nam June Paik, Bruce Nauman, Cildo Meireles e León Ferrari. A mostra aborda questões políticas e subjetivas como identidade, simulação, confronto e vigilância no diálogo entre os acervos das duas instituições. Ingressos a R$ 6.
Avenida Pedro Álvares Cabral, s/ nº, Ibirapuera. 
Tel. (11) 5085-1300
http://www.mam.org.br

A Cultura Indígena

Os índios foram os primeiros habitantes do território brasileiro. São formados por povos diferentes com hábitos, costumes e línguas diferentes.

Os Ianomâmis falam quatro línguas: a Yanomam, Sanumá, Yanomame e Yanam. Suas habitações são construídas de caibros encaixados, amarrados com cipó e revestidas de palha. Possuem características seminômades, já que mudam de habitat quando acreditam ter explorado uma região ao máximo. São caçadores e acreditam em rixis: espíritos de animais que ao serem mortos tornam-se em protetores e amigos.
Os Carajás falam apenas uma língua: a Macro-Jê. São divididos em Karajás, Javaés e Xambioás. Acreditam na transformação do homem em animais e vice-versa. Residem nas proximidades do rio Araguaia, pois acreditam que sua criação, rituais de passagem, alimento e alegria são dados por ele. Vivem do cultivo do milho, mandioca, batata, banana, cará, melancia, feijão e amendoim, e prezam pela pintura corporal. Dividem o trabalho, fica para os homens a defesa do território, abertura de roças, construção das casas, pesca e outros. Para as mulheres o trabalho de educar os filhos, cuidar dos afazeres domésticos, do casamento dos filhos, da pintura e ornamentação das crianças e outros.
Os Guaranis manifestam sua cultura em trabalhos em cerâmica e em rituais religiosos. Possuem sua própria língua, somente ensinam o português às crianças maiores de seis anos. São migrantes e agricultores. Acreditam que a morte é somente uma passagem para a “terra sem males”, onde os que se foram partem para este local para proteger os que na Terra ficaram.

Os Tupis são dominados por um ser supremo designado Monan. A autoridade religiosa dentro das aldeias é o Pajé, que é um sábio que atua como adivinho, curandeiro e sacerdote. Utilizam a música e seus instrumentos musicais para a preservação de suas tradições, para produzir efeitos hipnóticos e para momentos de procriação, casamento, puberdade, nascimento, morte, para afastar flagelos, doenças e epidemias e para festejar boas caçadas, vitórias em guerras e outros.
Existem cerca de 225 sociedades indígenas distribuídas em todo o território brasileiro, corresponde a 0,25% da população do país. Diante das culturas específicas de cada sociedade, somente algumas delas foram anteriormente destacadas.
Por Gabriela Cabral
Equipe Brasil Escola

Fonte:http://www.brasilescola.com/cultura/cultura-indigena.htm

sábado, 16 de março de 2013

Vale a Pena Ler - Á Deriva


À Deriva é uma Antologia de contos , poemas e crônicas diversas.Mais um trabalho do Grupo Editorial Beco dos Poetas e Escritores Ltda. Com os temas mais diversos e autores de diferentes lugares do país, cada um contribuindo com sua visão única.


Edição: 1

Ano de Edição:2012

Local de Edição: São Paulo

Tipo de Suporte: Papel

Páginas: 112

Editora: Grupo Editorial Beco dos Poetas E Escritores Ltda

Fonte: http://www.literaturaperiferica.com.br/antologias/a-deriva.html#
Lute com determinação, abrace a vida com paixão, perca com classe e vença com ousadia, porque o mundo pertence a quem se atreve e a vida é muito para ser insignificante. Charles Chaplin

Carlos Benethi - Sozinho

Voto não tem preço, tem consequência.


Na rotina atribulada do dia a dia e na alta concorrência do mercado de trabalho, estamos cada vez mais investindo em nosso desenvolvimento pessoal e na capacitação profissional. E de que forma investimos nosso tempo ou nos envolvemos para a busca da melhoria na qualidade de vida de nossa comunidade, bairro, cidade? Mudar, o que não nos satisfaz, somente é possível com ação, e na política isso ainda é mais importante.
Depois de cursar economia e gestão estratégica, busquei a graduação em ciência política, motivado pela rica discussão sobre o assunto, até mesmo entre as pessoas que se dizem desinteressadas, mas que sempre tem uma opinião para dar. A política está presente na vida das pessoas diariamente, inclusive para aqueles que acreditam que não se envolvem com o tema. Entender a importância da participação e o poder de transformação social existente na ação de participar de forma correta é fundamental. Discutir a política em todos os níveis da sociedade é o desafio, levar esta discussão para dentro da casa de todos é o objetivo e criar uma nova cultura política para uma nova geração é a estratégia.
2012 teremos eleições municipais, que maravilha de oportunidade!
Escolheremos prefeitos e vereadores; que em minha opinião é a primeira classe de políticos; explico melhor; são os políticos com o maior poder de influência na relação eleitor e o estado; são os que estão mais perto do cidadão e por consequência podem e certamente tem o dever de atender as suas necessidades de forma rápida, objetiva e profissional, quando não de forma até customizada, única, individual.
Quando me refiro a grande oportunidade que teremos agora em 2012 é simplesmente porque nós eleitores podemos fazer a diferença - vale ressaltar que somos os únicos com esse poder - na qualidade da representatividade política que temos hoje. 
Talvez eu não consiga muitas vozes contrárias a afirmação que o povo brasileiro, em sua maioria, não está satisfeito com a qualidade dos serviços prestados por seus representantes políticos, em qualquer esfera de governo; federal, estadual ou municipal. Mas o interessante é perceber que temos que "dar a mão à palmatória" porque não podemos responsabilizar ninguém, a falha é nossa!
Isso mesmo, nós erramos em dar a permissão de sermos representados por pessoas que não conseguem atender as demandas que temos, não estão preparados para isso e nós não conseguimos sequer nos lembrar em quem votamos na última eleição e se 1 em cada 10 conseguem saber em quem votou, certamente não conseguirá responder se o seu representante atendeu as suas expectativas e por quê.
A baixa participação política, o desinteresse popular pela política, esta aversão quase que unânime (que por sorte está mudando) é o nosso câncer. Uma pesquisa da AMB - Associação dos Magistrados do Brasil e do Instituto Vox Populi identificou que 12% dos eleitores não acreditam que o povo não é o principal beneficiário da política e 1/3 não votaria se o voto não fosse obrigatório.
Como isso é preocupante, a alienação não resolve os problemas, nem na política e tão pouco na vida. Somos uma democracia muito jovem, ainda estamos aprendendo a navegar nestas águas, para nós inóspitas, porém isso não pode ser a desculpa para a ignorância política, que de todas é a mais perigosa, visto que você será influenciado pela decisão da maioria, mesmo que não queira participar.
Prezados eleitores, busquem seus novos representantes como se estivessem contratando o mais importante assessor para suas atividades, certamente vocês não o faria sem o mínimo de cuidado e atenção. Então, por que fariam isso com seus representantes políticos?
Empresários e líderes, influenciem positivamente a sua comunidade, multipliquem conceitos de cidadania através da busca da excelência de seus colaboradores. Não aceitem, nas suas empresas e equipes, a presença do analfabetismo democrático. A mudança política é o motor da transformação do estado.
Em tempo, lembrem-se: VOTO NÃO TEM PREÇO, TEM CONSEQUÊNCIA!
Alexandre Gouveia - cientista político, consultor, professor  e palestrante.
Fonte: http://www.academiadopalestrante.com.br/artigos/voto-nao-tem-preco-tem-consequ-ncia

A Verdade é Filha do Tempo.
(Galileu Galilei)

Chris Torrez – Intimidade


A compositora e cantora Chris Torrez apresenta o show de encerramento da turnê Intimidade, iniciada em 2010. Pela primeira vez em São Bernardo do Campo, Chris apresenta uma homenagem ao inesquecível cantor Paulo Sérgio, em que o público irá fazer uma verdadeira viagem musical ouvindo grandes sucessos como Última Canção e Amor Tem que Ser Amor. Recomendação etária: Livre. Duração: 90 minutos. Grátis. Retirar ingressos na bilheteria uma hora antes do início do espetáculo. Teatro Lauro Gomes. Rua Helena Jacquey, 171, Rudge Ramos. Tel.: 4368-3483. Dia 16 (sábado) 20h30   -