quinta-feira, 30 de junho de 2011



Programação do Festival 2011 - Auditório Claudio Santoro
02/07
21h
Orquestra Sinfônica do Estado de São PauloRegência e piano: Pinchaz Zukerman
03/07
11h
Orquestra Jovem do EstadoRegência: Frank Shipway
03/07
18h
Orquestra Exp. de RepertórioRegência: Jamil Maluf Piano e gaita: Corky Siegel
04/07
21h
Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto Regência: Cláudio Cruz
05/07
21h
Pro Art Quartet e ConvidadosTuba: Roland SzentpaliTrompa: Bostjan LipovsekTrompete: Läszló TóthTrombone: Gyorgy GyivicsanPiano: Aron RohmhányiTrompete: Lászlo Borsodi
06/07
21h
Imani WindsFlauta: Valerie ColemanOboé: Toyin Spellman-DiazClarinete: Mariam AdamTrompa: Jeff Scott Fagote: Monica Ellis
07/07
21h
Professores do Festival
08/07
21h
Mozart Piano Quartet Viola: Harmuth RohdeViolino: Mark GothoniPiano: Paul RiviniusVioloncelo: Peter Hörr
09/07
21h
Zukerman Chamber PlayersViolino: Pinchas ZukermanViolino: Jéssica LinnebachViolino: Jethro MarksViola: Amanda ForsythPiano: Angela Cheng
10/07
18h
Orquestra Sinfônica Municipal Coral PaulistanoRegência: Abel RochaPiano: Cristina OrtizSoprano: Adélia IssaContralto: Sílvia TessutoTenor: José Antonio PalomaresBaixo: Carlos Eduardo Marcos
11/07
21h
Professores do Festival
12/07
21h
MMA'ALOTFlauta: Stephanie WinkerClarinete Ulf-Guido SchâferOboé: Christian WetzelTrompa: Volker GrewelFagote: Volker Tessmann
13/07
21h
Het Collectief Regência: Robert de LeeuwMezzo-soprano: Jacqueline Janssen
14/07
21h
Quarteto Arditti Violino: Irvine ArdittiViolino:Ahot SarkissjanViola: Ralf EhlersVioloncelo: Lucas Fels
15/07
21h
Orquestra Petrobrás Sinfônica Regência: Isaac KarabtchevskyVioloncelo: Antonio Meneses
16/07
11h
Orquestra Filarmônica de MG Regência: Fabio MechettiSoprano: Adriane Queiroz
17/07
18h
Orquestra do Festival Regência: Cláudio CruzPiano: José Feghali
22/07
21h
The University of Florida Chambers Players Regente: David Waybright Voz e violão: Welson Tremura
23/07
21h
Orquestra Sinfônica do Porto Casa da Música Regência: Christoph Kônig
Praça do Capivari
02/07
12h 30
Coral da Fundação Bradesco
03/07
12h 30
Orquestra de Metais Lyra TatuíRegência: Adalto Soares
03/07
16h 30
Orquestra Jovem Tom Jobim – 10 AnosRegência: Roberto SionConvidados: Paulo Jobim e Daniel Jobim
09/07
12h 30
Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São PauloRegência: João Maurício Galindo
09/07
16h 30
Orquestra Sinfônica de Santo AndréRegência: Carlos Moreno
10/07
12h 30
Banda Sinfônica Jovem do Estado Regência: Mônica Giardini
10/07
16h 30
Orquestra Sinfônica do Conservatório de TatuíRegência: João Maurício Galindo
16/07
12h 30
Camerata Antiqua de CuritibaRegente: Wagner PolistchukSoprano: Darci Almeida Barítono: Marcelo Dias
16/07
16h 30
Orquestra do Festival Regência: Cláudio CruzPiano: José Feghali
17/07
12h 30
Ópera Estúdio EMESPDireção:Mauro Wrona Regência: Emiliano Patarra
17/07
16h
Banda Sinfônica do Estado de São Paulo Regência: Marcos Sadao Narração: Kid Vinil Banda convidada: DR. SIN
Igreja de São Benedito
05/07
15h 30
Solistas de Paulínia Piano: Claire DesértViolino: Carmelo de los SantosViola: Horácio SchaeferVioloncelo: Roberto Ring
07/07
15h 30
Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo
12/07
15h 30
Música de câmaraBolsistas do Festival
14/07
15h 30
Música de câmaraBolsistas do Festival
Palácio Alto da Boa Vista
09/07
17h
Pablo Rossi - piano
16/07
17h
Álvaro Siviero e Convidados Piano: Álvaro SivieroViolino: Pablo de LeonViolino: Ruda AlvesViola: Alexandre de LeonVioloncelo: Mauro Brucoli
Igreja N.Srª. da Saúde
04/07
15h 30
Camerata FukudaRegência: Ugo Kageyama
08/07
15h 30
Música de câmaraBolsistas do Festival
11/07
15h 30
Música de câmaraBolsistas do Festival
15/07
15h 30
Música de câmaraBolsistas do Festival
Igreja Santa Therezinha
03/07
15h 30
Núcleo de Música Antiga – EMESPRegência: Luis Otávio Santos
06/07
15h 30
Quarteto Bosisio
10/07
15h 30
Coral Guri Santa MarcelinaRegência: Vitor Gabriel Piano: Gustavo Fiel Piano: Thiago NevesCoral Jovem do EstadoRegência: Naomi MunakataPiano: Israel Mascarenhas
13/07
15h 30
Música de câmaraBolsistas do Festival
17/07
15h 30
Compositores do Festival (Obras de bolsistas de composição do Festival)Direção: Silvio Ferraz Regência: Eduardo Leandro Grupo de Câmara do Festival

Informações úteis:Auditório Cláudio Santoro: Av. Dr. Luís Arrobas Martins 1.880 - Alto da Boa VistaTel: (12) 3662 2334



terça-feira, 28 de junho de 2011

Museu Mazzaropi

Mazzaropi foi um artista brasileiríssimo. De origem humilde, começou no circo, foi para o rádio, passou pela TV, e chegou ao cinema, onde estreou como ator até se tornar seu próprio produtor, diretor e distribuidor, consagrando-se como um dos maiores sucessos de bilheteria.
Mazzaropi conseguiu o que ainda hoje parece quase impossível: criar uma indústria de cinema genuinamente nacional, independente (sem subsídios ou financiamentos) e, além de tudo, bem sucedida.
Certa vez, ao lhe perguntarem qual seria a razão de sua fama, ele respondeu: “O segredo do meu sucesso é falar a língua do meu povo”.

Mazzaropi não fazia filmes sobre o Brasil. Mazzaropi fazia filmes para o Brasil.
Para o enorme público brasileiro que não perdia um filme sequer, ele contou histórias que abordavam o racismo, divórcio (que a lei então proibia), as religiões, política e falou até mesmo dos problemas da devastação da natureza.
Assuntos tão sérios, ele tratava de um jeito pouco comum, a comédia. E, como ele falava “a língua do povo”, de onde ele mesmo emergiu, e de um jeito bem brasileiro, isto é, evitando o debate e o confronto com quem detém o poder, a elite, é claro, não o entendia muito bem.
Então, apesar da aclamação pelo grande público, o reconhecimento de seu trabalho pela crítica e a elite intelectual lhe foi praticamente negado.

Felizmente, a obra de Mazzaropi vem sendo revista pelos críticos e as universidades começam a estudá-la, embora ainda seja espantosa a omissão do artista nos livros sobre cultura nacional.
Mesmo assim, a memória de Mazzaropi continua virtualmente viva pelo país. Ela está latente na lembrança do público que continua vendo seus filmes. Fenômeno exclusivo a alguns poucos.
Por estas e outras razões, deve existir um espaço para Mazzaropi na história do cinema brasileiro.

Rever Mazzaropi pode trazer à tona inúmeras reflexões para o presente e futuro sobre o que um dia já deu certo.
Mas é preciso vê-lo de uma outra maneira, diferente daquela como a crítica da época o via.
"Tem o intérprete que sentir simpatia pelo símbolo que se propõe a interpretar. A atitude cauta, a irônica, a deslocada - todas elas privam o intérprete da primeira condição para poder interpretar.” (Fernando Pessoa)

O Museu Mazzaropi, em Taubaté, é uma iniciativa privada e sem fins lucrativos, mantido pelo Instituto Mazzaropi.
Caso você tenha fotos ou qualquer material informativo sobre o assunto, por favor, entre em contato conosco.


Visite o Museu Mazaropi

Estrada Municipal Amácio Mazzaropi, 201

Bairro dos Remédios, Taubaté, SP 12086-020

tel: 12 3634.3447









Festival de Inverno de Campos do Jordão 2011

O Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão é um grande festival de música erudita do Brasil. Acontece todos os anos no mês de julho, no Auditório Cláudio Santoro, localizado em Campos do Jordão, no estado de São Paulo.
Foi criado em 1970 pelos maestros Eleazar de Carvalho, Camargo Guarnieri e João de Souza Lima, inspirado no Festival de Tanglewood.

É considerado o maior festival de música clássica do país, e leva a Campos do Jordão alunos bolsistas que passam um mês estudando com importantes nomes da música nacional e internacional. Paralelamente às atividades pedagógicas, há uma intensa programação com convidados que se apresentam em diferentes lugares da cidade.

A partir de 1973, o maestro Eleazar de Carvalho, então diretor artístico do festival, deu início à programação pedagógica, concedendo bolsas de estudos para jovens promissores no campo da música. Este caráter pedagógico, que permanece até hoje, possibilita aos estudantes o aprofundamento de estudos musicais por meio de aulas, em tempo integral, com renomados professores.

A partir de 1995 o festival entrou em uma nova fase, não só na qualidade da programação, que trouxe nomes internacionais de peso como o tenor Roberto Alagna, Aprile Millo, a pianista Maria João Pires, o trompetista Daniel Havens, a cantora Kiri Te Kanawa e o maestro Kurt Masur.
Desde que assumiu a direção artística do festival, em 2004, o maestro Roberto Minczuk, como ex-bolsista do festival, retomou a principal característica do evento, com ênfase na programação clássica e na área pedagógica.

Atualmente, o festival realiza cerca de 50 apresentações de importantes orquestras, grupos de câmara e recitais nos principais teatros e espaços da cidade, entre eles, o Auditório Cláudio Santoro, Palácio Boa Vista, Igreja de Santa Terezinha, Igreja São Benedito e a Praça Capivari, onde acontecem os concertos ao ar livre para milhares de pessoas. Paralelamente à programação, o festival realiza diversos cursos de formação musical, como Curso de Instrumentos de Orquestra Sinfônica, Piano, Violão, Música de Câmara, Prática de Orquestra Sinfônica, Regência de Orquestra e Composição (aulas individuais, masterclasses, prática, grupo).

O Festival de Inverno de Campos de Jordão tem um público de aproximadamente 80 mil espectadores diretos, que lotam a cidade atraindo diversos eventos simultâneos. Em 2008, o Festival abordou o tema Música e Literatura, com obras musicais inspiradas em peças literárias.
O festival é uma realização do Governo do Estado de São Paulo e da Secretaria de Estado da Cultura, com produção do Centro Tom Jobim, uma organização social da cultura.

Dia do Telefonista

Um telefone ao alcance da mão,
Um número decorado na cabeça
E uma aflição no coração.
É aí que mora o perigo...
Martha Medeiros

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Parintins, uma das melhores festas folclóricas do Brasil

O Brasil é rico em festas folclóricas que encantam turistas de todos os lugares do mundo. Um desses eventos é o Festival de Parintins, que acontece todos os anos na região amazônica. O alegre festival é composto pela competição entre os Bois-bumbá Garantido e Capricho.

domingo, 26 de junho de 2011

Donos de Mercedes 300 SL se reúnem nos EUA

Carsale - Membros de um clube de proprietários dos lendários Mercedes-Benz Gull Wing e 300 SL Roadster, pertencente ao Gull Wing Group, grupo cujo nome é uma referência ao esportivo com portas do tipo “asa de gaivota” (que se abrem para cima), se reuniram em Fort Point, uma instalação militar americana que fica junto à ponte Golden Gate, em São Francisco, na Califórnia (EUA).

Cinqüenta anos atrás, esse mesmo grupo se encontrou na fortaleza com seus carros originais de época para uma foto que foi guardada para a posteridade. Agora, voltou ao mesmo local, reunindo mais de 100 exemplares do deste que é considerado um dos primeiros supercarros da história, equipado com injeção mecânica de combustível já nos idos dos anos 50.

Fonte:www.uol.com.br

sábado, 25 de junho de 2011

Quem tem um amigo, mesmo que um só, não importa onde se encontre, jamais sofrerá de solidão; poderá morrer de saudades, mas não estará só.
Amir Klink

É sobretudo na solidão que se sente a vantagem de viver com alguém que saiba pensar.
Jean Jacques Rousseau

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Editora Beco dos Poetas e sua 1º vendas de e-book




Caros Amigos e Amigas, companheiros e companheiras de letras todos os que aqui estão são ligados pelo amor á literatura e pelo prazer de escrever, cada vitória nossa tem um sabor especial, um sabor de lealdade, de solidariedade, de união, pois, é somente juntos que conseguimos vencer!


Hoje, quero parabenizar dois Autores:

Kiyoshi Ikeda e Zanna Santos . Um foi escolhido pela sua fé na arte de escrever e aos 75 anos não cruzar os braços diante da vida e acreditar que tem algo a compartilhar com outras pessoas e nos brindar com a "Teoria de Regressão Biologica " e a outra é uma Autora, foi escolhida por sua capacidade de rir das dificuldades e por conseguir se impor diante da vida e mostrar as pessoas que a força da mulher não está nos braços, e sim em seu coração e no seu coração que pulsa literatura e é dela que se alimenta sua alma poética, com pensamentos e uma visão de mundo de quem vê não apenas o sorriso das pessoas, mas que aprende e supera o preconceito de ser mulher, de ser negra e de ter uma deficiência visual, teu exemplo poetisa fez do Beco muito mais belo do que é, eu me emocionei ao saber que você transformou sua obra em aúdio - boook e que o objetivo era para que os deficientes visuais pudessem sentir sua arte com o mesmo encanto da música... muito obrigado por levar o Beco onde ainda não havia chegado, essa vitoria é nossa, a qual compartilho com todos os primeiros links de venda dos nossos ebooks.



Ver o Livro Farol na Livraria Gato Sabido


Ver o Livro Teoria de Regressão Biologica na Livraia Gato Sabido


Ver o Livro Farol na Livraria Grioti Livros Digitais


Ver o Livro Teoria de Regressão Biologica na Livraria Grioti Livros Digitais


Livraria Gato Sabido


Livraria Grioti Livros Digitais


Hoje temos apenas dois titulos distribuidos...mas como todo caminhada começa-se com os primeiros passos e hoje demos dois e com certeza virão muitos mais por ai "Beco dos Poetas - Divulgue -Compartilhe essa ideia "

Festas Juninas

Origem da Festa Junina
Existem duas explicações para o termo festa junina. A primeira explica que surgiu em função das festividades ocorrem durante o mês de junho. Outra versão diz que está festa tem origem em países católicos da Europa e, portanto, seriam em homenagem a São João. No princípio, a festa era chamada de Joanina.
De acordo com historiadores, esta festividade foi trazida para o Brasil pelos portugueses, ainda durante o período colonial (época em que o Brasil foi colonizado e governado por Portugal).
Nesta época, havia uma grande influência de elementos culturais portugueses, chineses, espanhóis e franceses. Da França veio a dança marcada, característica típica das danças nobres e que, no Brasil, influenciou muito as típicas quadrilhas. Já a tradição de soltar fogos de artifício veio da China, região de onde teria surgido a manipulação da pólvora para a fabricação de fogos. Da península Ibérica teria vindo a dança de fitas, muito comum em Portugal e na Espanha.
Todos estes elementos culturais foram, com o passar do tempo, misturando-se aos aspectos culturais dos brasileiros (indígenas, afro-brasileiros e imigrantes europeus) nas diversas regiões do país, tomando características particulares em cada uma delas.

Festas Juninas no Nordeste
Embora sejam comemoradas nos quatro cantos do Brasil, na região Nordeste as festas ganham uma grande expressão. O mês de junho é o momento de se fazer homenagens aos três santos católicos: São João, São Pedro e Santo Antônio. Como é uma região onde a seca é um problema grave, os nordestinos aproveitam as festividades para agradecer as chuvas raras na região, que servem para manter a agricultura.
Além de alegrar o povo da região, as festas representam um importante momento econômico, pois muitos turistas visitam cidades nordestinas para acompanhar os festejos. Hotéis, comércios e clubes aumentam os lucros e geram empregos nestas cidades. Embora a maioria dos visitantes seja de brasileiros, é cada vez mais comum encontrarmos turistas europeus, asiáticos e norte-americanos que chegam ao Brasil para acompanhar de perto estas festas.

Comidas típicas
Como o mês de junho é a época da colheita do milho, grande parte dos doces, bolos e salgados, relacionados às festividades, são feitos deste alimento. Pamonha, cural, milho cozido, canjica, cuzcuz, pipoca, bolo de milho são apenas alguns exemplos.
Além das receitas com milho, também fazem parte do cardápio desta época: arroz doce, bolo de amendoim, bolo de pinhão, bombocado, broa de fubá, cocada, pé-de-moleque, quentão, vinho quente, batata doce e muito mais.

Tradições
As tradições fazem parte das comemorações. O mês de junho é marcado pelas fogueiras, que servem como centro para a famosa dança de quadrilhas. Os balões também compõem este cenário, embora cada vez mais raros em função das leis que proíbem esta prática, em função dos riscos de incêndio que representam.
No Nordeste, ainda é muito comum a formação dos grupos festeiros. Estes grupos ficam andando e cantando pelas ruas das cidades. Vão passando pelas casas, onde os moradores deixam nas janelas e portas uma grande quantidade de comidas e bebidas para serem degustadas pelos festeiros.
Já na região Sudeste são tradicionais a realização de quermesses. Estas festas populares são realizadas por igrejas, colégios, sindicatos e empresas. Possuem barraquinhas com comidas típicas e jogos para animar os visitantes. A dança da quadrilha, geralmente ocorre durante toda a quermesse.
Como Santo Antônio é considerado o santo casamenteiro, são comuns as simpatias para mulheres solteiras que querem se casar. No dia 13 de junho, as igrejas católicas distribuem o “pãozinho de Santo Antônio”. Diz a tradição que o pão bento deve ser colocado junto aos outros mantimentos da casa, para que nunca ocorra a falta. As mulheres que querem se casar, diz a tradição, devem comer deste pão.



quinta-feira, 23 de junho de 2011

Faça seu e-Book pela Editora Beco dos Poetas


Se você consegue estabelecer a diferença entre uma carta e um E-mail, certamente sabe, por analogia, que livros e-Books se encaixam no mesmo conceito. Termo de origem inglesa, e-Books é uma abreviação para “electronic book”, ou livro eletrônico: trata-se de uma obra com o mesmo conteúdo da versão impressa, com a exceção de ser, por óbvio, uma mídia digital.

Apesar de ardorosamente criticados por extremistas – que acreditam que um livro jamais deveria ser substituído por um e-Books –, o modelo eletrônico tem suas vantagens. Portabilidade é uma de suas principais características: uma obra chinesa pode ser adquirida no Brasil, e em questão de segundos. Quando o assunto é facilidade de transporte, então, nem se fala: enquanto milhares de E-books podem ser levados para cima e para baixo com o uso de um dispositivo móvel (como um pen-drive), carregar dois livros simultaneamente é complicado..

O preço é outro atributo a ser levado em consideração, já que E-books, devido à sua facilidade de divulgação e ao seu baixo custo de produção, normalmente saem muito mais baratos que modelos impressos. E por falar em impressão, vale a pena salientar: se você preferir ler sentado confortavelmente em sua poltrona, pode imprimir o e-Books.

Os formatos em que essas obras são encontradas variam, sendo que os mais tradicionais são: PDF, doc, odt, txt, .lit e .opf; devido a essa variedade de extensões, foram desenvolvidos programas específicos para a leitura de e--Books – softwares que são capazes de reconhecer todos esses formatos e apresentá-los em forma de texto. Se estiver procurando por um aplicativo do gênero, temos vários à disposição aqui no Baixaki (relacionados logo abaixo). Também escolhemos alguns programas que oferecem funcionalidades especiais a esse tipo de leitura, como um que recita “em voz alta” o que está escrito na tela. Agora é só escolher os que mais te agradam, pegar seu e-Books favorito e “olhos à obra”!


Fonte: http://www.tecmundo.com.br/1519-o-que-e-e-book-.htm


Após ler a matéria reproduzida acima, me encantei com o e-Books e busquei algumas informações, dessas informações surgiram novas idéias e chegamos ao Projeto “SEU E-BOOK BECO DOS POETAS”.

O Projeto:

Estamos oferecendo a possibilidade dos membros do Beco dos Poetas disponibilizarem seus textos no formato E-book, e o qual será comercializado e repassado 20% sobre as vendas ao autor a título autoral.


Descrição do formato do E-book, Distribuição e Comercialização.

a) Os e-Books, serão diagramado e configurado pelo “Beco dos Poetas” em formato PDF.


b) Cada e-Book será documentado com ISBN (Registro que comprova a titularidade da obra podendo ser consultada na Biblioteca Nacional).


c) O e-Book será disponibilizado pela distribuidora de conteúdos digitais Xeriph Serviços e Distribuição Digital, e comercializado através das livrarias:

Gato Sabido, Grioti Livros Digitais, Livrarias Curitiba, Ponto Frio (além de Extra e Casas Bahia), IBA (da Editora Abril), Livraria dos E-Books e Sebo da Literatura

OBS: A venda dos E-books por parte das livrarias relacionadas está sujeita a aprovação das referidas.

d) Todos os E-books terão recolhidos os impostos fiscais e emissão de notas referente à venda dando legalidade ao seu trabalho e segurança a quem adquire.


f) Os e-Books que tiverem melhor aceitação junto ao público receberão também a opção de forma impressa com toda documentação, diagramação e criação de capa gratuita ao autor com a cortesia da Editora: Grupo Editorial Beco dos Poetas & Escritores Ltda.

Cada e-Books disponibilizado terá um custo único de produção no valor de 50,00 ao autor incluiremos nesse serviço contrato:

a) Diagramação e criação do PDF
b) Solicitação do ISBN
c) Disponibilização do arquivo junto ao distribuidor para visualização das livrarias e possível inclusão em seu catálogo.


Como proceder:

a) Enviar o mínimo de 60 e o máximo de 110 poemas para o e-mail ebook@becodospoetas.com.br para avaliação e recebimento do contrato editorial.

b) Anexar contrato de publicação e o depósito de 50,00 (Cinqüenta Reais) efetuado na conta Banco do Brasil Agência 3567-X conta corrente 71.5544-9 remetendo para ebook@becodospoetas.com.br

segunda-feira, 20 de junho de 2011





O deserto que atravessei
Ninguém me viu passar
Estranho e só
Nem pude ver que o céu é maior

Tentei dizer
Mas vi você
Tão longe de chegar
Mais perto de algum lugar

É deserto onde eu te encontrei
Você me viu passar
Correndo só
Nem pude ver que o tempo é maior

Olhei pra mim
Me vi assim
Tão perto de chegar
Onde você não está

No silêncio uma catedral
Um templo em mim
Onde eu possa ser imortal
Mas vai existir
Eu sei, vai ter que existir
Vai resistir nosso lugar

Solidão, quem pode evitar?
Te encontro enfim
Meu coração é secular
Sonha e desagua dentro de mim
Amanhã, devagar
Me diz como voltar

É deserto onde eu te encontrei
Você me viu passar
Correndo só
Nem pude ver que o tempo é maior

Olhei pra mim
Me vi assim
Tão perto de chegar
Onde você não está

No silêncio uma Catedral
Um templo em mim
Onde eu possa ser imortal
Mas vai existir
Eu sei, vai ter que existir
Vai resistir nosso lugar

Solidão, quem pode evitar ?
Te encontro enfim
Meu coração é secular
Sonha e deságua dentro de mim
Amanhã, devagar
Me diz como voltar

Se eu disser que foi por amor
Não vou mentir pra mim
Se eu disser deixa pra depois
Não foi sempre assim

Tentei dizer
Mas vi você
Tão longe de chegar
Mais perto de algum lugar

Zélia Duncan

sábado, 18 de junho de 2011

18 de junho, 1908

Chegada do navio Kasato Maru, em Santos.

Do porto de Kobe a embarcação trouxe, numa viagem de 52 dias, os 781 primeiros imigrantes vinculados ao acordo imigratório estabelecido entre Brasil e Japão, além de 12 passageiros independentes.

sexta-feira, 17 de junho de 2011


Canção da América





Amigo é coisa pra se guardar
Debaixo de sete chaves
Dentro do coração
Assim falava a canção
Que na América ouvi
Mas quem cantava chorou
Ao ver seu amigo partir
E quem ficou, no pensamento voou
Com seu canto que o outro lembrou
E quem voou, no pensamento ficou
Com a lembrança que o outro cantou
Amigo é coisa pra se guardar
No lado esquerdo do peito
Mesmo que o tempo e a distância digam não
Mesmo esquecendo a canção
E o que importa é ouvir
A voz que vem do coração
Pois seja o que vier
Venha o que vier
Qualquer dia, amigo
Eu volto, pra te encontrar
Qualquer dia, amigo
A gente vai se encontrar

Autor: (Milton Nascimento, Fernando Brant )
Alma minha gentil, que te partiste
Alma minha gentil, que te partiste
Tão cedo desta vida, descontente,
Repousa lá no Céu eternamente
E viva eu cá na terra sempre triste.
Se lá no assento etéreo, onde subiste,
Memória desta vida se consente,
Não te esqueças daquele amor ardente
Que já nos olhos meus tão puro viste.
E se vires que pode merecer-te
Alguma coisa a dor que me ficou
Da mágoa, sem remédio, de perder-te,
Roga a Deus, que teus anos encurtou,
Que tão cedo de cá me leve a ver-te,
Quão cedo de meus olhos te levou.

Luís de Camões


quinta-feira, 16 de junho de 2011

Onde Anda Você

E por falar em saudade onde anda você
Onde andam seus olhos que a gente não vê
Onde anda esse corpo
Que me deixou louco de tanto prazer

E por falar em beleza onde anda a canção
Que se ouvia na noite dos bares de então
Onde a gente ficava,onde a gente se amava
Em total solidão

Hoje eu saio da noite vazia
Numa boemia sem razão de ser
Na rotina dos bares,que apesar dos pesares
Me trazem você

E por falar em paixão, em razão de viver
Você bem que podia me aparecer
Nesses mesmos lugares, na noite, nos bares
Onde anda você.

Vinícius de Moraes

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Vale a Pena Ler

BRANDÃO. Carlos Rodrigues.
O que é Educação.
41°Ed. São Paulo,
Brasiliense 2007.


O autor é natural do Rio de Janeiro graduado em psicologia pela PUC, tem o mestrado em Antropologia pela UNB e o doutorado em Antropologia USP. Foi professor universitário na UNB (Universidade de Brasília) da UFG (Universidade Federal de Goiás) e pela UNICAMP (Universidade Federal de Campinas).

Entre suas principais obras são: Os Deuses do Povo: Uma introdução às religiões, Diário de Campo: Antropologia como alegoria, Educação como cultura, Educação Popular, Identidade e Etnia, O que é folclore entre outros.

A presente obra visa fazer uma discussão sobre o conceito de educação saber que a inventou, e desmistificar a idéia que só existe o processo educacional somente na escola. O escrito se desdobra em nove capítulos.

terça-feira, 14 de junho de 2011

SARAU DO BECO 11º EDIÇÃO NO DIA 19 DE JUNHO

Poetas e Poetisas

Você que é de São Paulo e região e curte declamar poesia, cantar uma música, ler um poema do seu autor preferido, então você tem um encontro marcado no 11º Sarau Beco dos Poetas, realizado no CEU Caminho do Mar, convidamos a todos a participarem do evento no dia 19 de Junho, às 10h, no Jabaquara - SP.

Tema: CASIMIRO DE ABREU

- Leitura e interpretação de poemas e obra poética de Casimiro de Abreu pelos Poetas do Beco.

Os Poetas do Sarau farão à leitura e interpretação de poemas autorais.

Teremos uma manhã agradável com muita poesia e gente talentosa.

Você é nosso convidado especial.

Entrada franca

CEU Caminho do Mar

Av. Engº Armando de Arruda Pereira, 5.241.

Jabaquara-SP-

Tel. 011-5021-2233_
Contamos com a sua presença!

Entrada Franca


segunda-feira, 13 de junho de 2011

Quem foi Santo Antonio?

Monge português, Santo Antônio nasceu em Lisboa em 1195 e foi educado de acordo com os conceitos cristãos por sua família. Seu nome significa: "o que não tem preço; o lutador". Estudou os preceitos de Santo Agostinho em Coimbra, tornando-se frei em 1210.
Em 1220, Antônio de Pádua tornou-se franciscano. Um ano depois, seguiu em direção a Pádua (Itália), para encontrar São Francisco. Os dois rapidamente ficaram amigos e Francisco reconheceu nele um profundo conhecimento religioso, encarregando-o de lecionar aos frades da Bolonha, em 1221.
Possuía o dom da oratória. Conhecia como ninguém a Bíblia e seus sermões impressionavam desde pessoas mais simples a intelectuais. Contam as histórias que antes dos sermões, conseguia fazer com que as mulas dobrassem os joelhos perante ao altar para receber a hóstia na comunhão com Deus.
Em 1227, tornou-se responsável pela supervisão dos templos franciscanos e sua expansão. Naquela ocasião, sua fama já era muito grande, pois nada lhe era omitido.
Morreu em 1231 no convento de Santa Clara, ao lado da igreja de São Francisco, provavelmente de exaustão e fadiga. A Igreja incluiu Antônio entre os "Doutores da Igreja" em 1946.
Não existe nenhum fato particular em sua vida ou referências históricas sobre a fama de ser "bom casamenteiro". Porém, é certo que ele abençoava e ajudava os recém-casados. O que provavelmente acontecia era que Antônio pedia alimentos aos mais ricos da região para ajudar a vida do novo casal.
A crença de que Santo Antônio ajudava as solteiras a encontrarem um namorado foi difundida a partir do século XVIII.
O dia da sua festividade é 13 de junho, quando os fiéis assistem a missa e esperam pelo pão bento que, segundo a tradição, deve ser colocado junto aos mantimentos, para nunca faltar alimentos no lar.
Padroados:- Mulheres estéreis - Grávidas - Viajantes
Protege: - Os namorados - A família - Quem está prestes a perder a propriedade (ou o patrimônio) - Contra pessoas que tomam emprestado sem permissão

Monica Buonfiglio/Especial para o Terra

Fonte:www.terra.com.br

domingo, 12 de junho de 2011

Feliz Dia dos Namorados!

Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer.

É um não querer mais que bem querer;
É um andar solitário entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É um cuidar que se ganha em se perder.

É querer estar preso por vontade
É servir a quem vence o vencedor,
É ter com quem nos mata lealdade.
Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade;
Se tão contrário a si é o mesmo amor?

Luís de Camões

sábado, 11 de junho de 2011

"Uma andorinha só não faz verão, mas a sua presença revela que o inverno já passou"
Poeta Manoel Hélio.

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Balaio Popular - Ariano Suassuna

O dramaturgo, poeta, romancista, artista plástico e idealizador do Movimento Armorial apresentará em São Bernado do Campo aula-espetáculo, levando ao público sua defesa da cultura do nordeste através de histórias e reflexões permeadas pelo seu característico senso de humor.As aulas-espetáculos começaram em 1995, quando Suassuna era Secretário de Cultura. A proposta era criar um programa barato e eficiente para alavancar no País uma discussão sobre a cultura brasileira. Ariano já esteve em 63 municípios de Pernambuco com seu circo de músicos, bailarinos e cantores, além “de um palhaço, que sou eu” como ele brinca.Nas palavras do escritor: “A arte é um acerto de contas com a realidade. Acho que a arte, por natureza, não é uma imitação do real, é uma recriação. É uma realidade magnificada.”Ariano Suassuna é membro da Academia Brasileira de Letras, autor de dezenas de livros entre dramaturgia, prosa e poesia, além de já ter sido Secretário Estadual de Cultura em Pernambuco e idealizador do Movimento Armorial, que tem como objetivo criar uma arte erudita a partir de elementos da cultura popular do Nordeste Brasileiro. Tal movimento procura orientar para esse fim todas as formas de expressões artísticas: música, dança, literatura, artes plásticas, teatro, cinema, arquitetura, entre outras expressões.Participação Especial do grupo de música instrumental Quarteto Pererê que interpretará músicas de seu segundo disco "Balaio", passeando pelos gêneros musicais brasileiros, com foco nos ritmos do Nordeste, como maracatu, baião, forró, maxixe, entre outros.




Classificação etária: livre.


Ingressos: grátis (retirar 60 min. antes do espetáculo).


Teatro Lauro Gomes.


Rua Helena Jacquey, 171, Rudge Ramos.


Tel: 4368-3483.


Dia 15/6 (quarta) a partir das 19h30.

quinta-feira, 9 de junho de 2011

A timidez é uma condição alheia ao coração, uma categoria, uma dimensão que desemboca na solidão.
Pablo Neruda

quarta-feira, 8 de junho de 2011

É Ano de Colheita

Por isso vos digo:
Não andeis cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o mantimento, e o corpo mais do que o vestuário?

Olhai para as aves do céu, que nem semeiam, nem segam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não tendes vós muito mais valor do que elas?
E qual de vós poderá, com todos os seus cuidados, acrescentar um côvado à sua estatura?
E, quanto ao vestuário, por que andais solícitos? Olhai para os lírios do campo, como eles crescem; não trabalham nem fiam;
E eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles.

Pois, se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe, e amanhã é lançada no forno, não vos vestirá muito mais a vós, homens de pouca fé?
Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos, ou que beberemos, ou com que nos vestiremos?
(Porque todas estas coisas os gentios procuram). De certo vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas estas coisas;
Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.
Não vos inquieteis, pois, pelo dia amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal.





terça-feira, 7 de junho de 2011

Verdes são os Campos

Verdes são os campos,
De cor de limão:
Assim são os olhos
Do meu coração.

Campo, que te estendes
Com verdura bela;
Ovelhas, que nela
Vosso pasto tendes,

De ervas vos mantendes
Que traz o Verão,
E eu das lembranças
Do meu coração.

Gados que pasceis
Com contentamento,
Vosso mantimento
Não no entendereis;

Isso que comeis
Não são ervas, não:
São graças dos olhos
Do meu coração.

Luís de Camões

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Casa das Rosas

POETAS E PROSADORES – A PRÁTICA DO TEXTO (Módulo II)

Com Ana Rüsche e Andréa Catrópa.
7, 14, 21 e 28 de junho, 19h30.

Curso de formação continuada: será dada preferência aos alunos inscritos no primeiro módulo.
O objetivo do curso é, por meio de debates, leituras e exercícios de composição, auxiliar na construção do olhar crítico e da reflexão sobre o ato de escrever.
Data da temporada: De 10/05/11 a 28/06/11
Dias e horários:
Terça, 19:30

Avenida Paulista, 37

A Casa das Rosas

Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura

É um local de celebração da poesia, da literatura e da arte em geral.

Localizada no coração de São Paulo, a Casa serve de cenário para a efervescência da vida cultural, sendo um espaço onde a arte literalmente acontece.

domingo, 5 de junho de 2011

Tunico Vieira | Video Log 18/05/2011

"Muitos projetos, requerimentos e indicações votados na sessão de hoje, mas destaco a participação dos oficiais administrativos que vieram à tribuna para justas reivindicações.
Para quem não conhece, os oficiais administrativos exercem funções essenciais no serviço público e têm sido desprestigiados nos últimos anos. Acompanhe esta luta honesta por equiparação salarial e plano de carreira." (Vereador Tunico Vieira)

O que é um Sarau?

Sarau  é um evento cultural ou musical realizado geralmente em casa particular onde as pessoas se encontram para se expressarem ou se manifestarem artisticamente. Um sarau pode envolver dança, poesia, leitura de livros, música acústica e também outras formas de arte como pintura e teatro.
Evento bastante comum no século XIX que vem sendo redescoberto por seu caráter de inovação, descontração e satisfação. Consiste em uma reunião festiva que ocorre à tarde ou no início da noite, apresentando concertos musicais, serestas, cantos e apresentações solo, demonstrações, interpretações ou performances artísticas e literárias.



quinta-feira, 2 de junho de 2011

FABRÍCIO RAMOS COM EXCLUSIVIDADE PARA O TRIBUNA ESCRITA



Tribuna Escrita - Quem é Fabrício Ramos?

Fabrício Ramos – Fabrício Ramos é um pernambucano da cidade de Triunfo que aos 8 anos mudou-se pra Recife e lá teve um contato mais profundo com o mar, com a dita “música urbana” e também com todas as malícias, mistérios e surpresas da cidade grande. Acredito que sou um porta voz do povo que usa a música como a sua principal arma...sou amor, sou política, sonhos e muitas realidades, sou o desconhecido e também , muitas vezes, o que pode te surpreender.



TE - Como você define o seu trabalho musical?

FR – Meu trabalho musical é, como sempre digo, uma mistura de ritmos. Cresci ouvindo frevo, forró e MPB ,Gonzagão, Jackson do Pandeiro,Clara Nunes, Reginaldo Rossi, Zé Ramalho, Alceu Valença, Elba Ramalho, ícones da música brasileira que eu sempre ouvia e ouço ainda hoje. Quando mudei pra Recife, passei a ouvir Blues,Jazz, Rock. Isso tudo me fez ter uma escola muito forte musicalmente...desde a Orquestra Isaías Lima lá em Triunfo até os tambores do maracatu de Naná Vasconcelos, em Recife. É difícil definir o meu trabalho por isso achei um termo legal que é Música Pensante Brasileira.


TE - Qual o show que você fez que teve um significado especial para a sua vida?

FR – É difícil responder isso porque todos os shows que faço, independentemente do local, têm um significado especial. Acredito que o show de Hamamatsu, no Japão, pode ter tido um significado maior por se tratar de um país totalmente diferente e de ter pessoas cantando minhas músicas no show...Talvez o primeiro show que fiz em Triunfo também, assim como o festival Vozes da Cidade quando todo teatro Cacilda Becker me aplaudiu de pé em São Bernardo do Campo. Acho que cada show tem um significado especial .




TE - Como é fazer História?

FR – Essa pergunta acaba tendo um duplo sentido. Sou estudante de História numa tradicional faculdade em São Paulo e é um sonho sendo realizado. Sempre gostei e está sendo ótimo poder viver este sonho e conhecer mais do meu país e do mundo também, sem falar no contato diário com profissionais competentíssimos que acabam transmitindo um conhecimento maravilhoso e desta forma acabo por descobrir mundos paralelos ao que somos acostumados e obrigados a viver diariamente. Por outro lado a pergunta também acaba tendo uma conotação de “Fazer História” , não sei se foi essa sua intenção mas vamos lá; todos fazemos história de alguma forma, o seu blog faz história publicando notícias, entrevistas etc, o ator faz história atuando e imortalizando um personagem e eu faço história através da minha música que nada mais é do que um elo de ligação entre os sentimentos implícitos e o microfone que é a grande arma, onde posso tornar explícita a minha eterna luta.



TE - Neste turbilhão de atividades e emoções como fica o AMOR?

FR – Sempre fui um cara que viveu o amor de alguma forma...seja com a família, amigos, amor ao trabalho ou em relacionamentos que tive. Acredito que esse turbilhão de atividades não atrapalha, ele só me dá mais vontade de estar bem e de fazer o bem. Amar é algo muito difícil. Hoje em dia a palavra amor não é mais usada em momentos especiais ou até mesmo dependendo do momento nem precisaria ser usada porque amor não precisa ser transformado em verbos, amor precisa ser praticado e hoje em dia a palavra e o próprio significado de amor pra algumas pessoas estão banalizados. Vivo um momento ótimo da minha vida em todos os sentidos, inclusive no amor.



TE - Em poucas palavras como foi o impacto de Raul Seixas em sua vida?

FR – O impacto de Raul causou uma “metamorfose ambulante” na minha vida.



TE - Qual o projeto musical que você está trabalhando agora?

FR – Estou na fase de captação de recursos, pra ser mais claro, buscando patrocínio para o meu segundo cd de estúdio, pois tenho mais de 70 músicas prontas e acredito que estou no momento certo pra gravá-las, mais amadurecido e com muitas idéias na cabeça. Tenho também um projeto de literatura de cordel que quero lançar até o final do ano e um livro de poesias que estou trabalhando com mais calma e sem data para lançamento.



TE - O que representa Edinho Gadelha hoje em sua vida musical?

FR – Eu sempre trabalhei com músicos de muita competência musical e profissional, desde a banda de apoio para a gravação do meu primeiro cd de estúdio lá em Recife, em 2004. Aqui em São Paulo não poderia ser diferente, Edinho Gadelha veio somar, pois é um excelente guitarrista e violeiro, além de compositor também. Ele representa a minha luta de sempre ter bons músicos comigo no palco.



TE - Qual é a sua avaliação desta entrevista via e-mail em uma escala de 0 a 100?

FR – com certeza 100



TE - Escreva as suas considerações finais, desde já agradeço à você por esta entrevista via e-mail. O meu muito obrigado!

FR – Bom, em primeiro lugar, quero agradecer muito o espaço que o blog “Tribuna Escrita” tem me dado sempre. Manoel Hélio, lhe agradeço de coração, mais uma vez, pela força, carinho e respeito que você tem comigo e com o meu trabalho. Quero agradecer também aos blogueiros que sempre postam minhas entrevistas ampliando ainda mais a divulgação do meu som, das minhas mensagens e da minha luta como artista independente na grande “teia” virtual. Gostaria de deixar o meu site para que os leitores possam acompanhar minha agenda, ver as fotos e um monte de coisa legal que tem lá, o site é
www.fabricioramos.com . Vida longa ao “Tribuna Escrita” , um forte abraço e muita Paz a todos vocês. Obrigado!



http://tribunaescrita.blogspot.com/2011/05/fabricio-ramos-com-exclusividade-para-o.html, publicado 30/05/2011, acessado 02/06/2011.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

COMISSÃO DOS OFICIAIS ADMINISTRATIVOS FALA NA TRIBUNA DO POVO.


COMISSÃO DOS OFICIAIS ADMINISTRATIVOS FALA NA TRIBUNA DO POVO. por TRIBUNAESCRITA no Videolog.tv.

Mar Português

Ó mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal!
Por te cruzarmos, quantas mães choraram,
Quantos filhos em vão rezaram!
Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!
Valeu a pena?
Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.
Quem quer passar além do Bojador
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu.

Fernando Pessoa