quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

As Princesas do Castelo Encantado               
Os contos de fadas nem sempre foram como os conhecemos. De acordo com estudiosos e historiadores, eles foram criados nos primeiros séculos da era cristã para entreter as noites de adultos. Através da tradição oral, foram aos poucos modificados, adaptados para crianças e são utilizados até hoje como uma poderosa ferramenta de entretenimento e um importante coadjuvante na formação do caráter infantil. São pequenas histórias recheadas de atos heróicos, de exemplos de determinação e superação, de conduta ética e moral, tudo muito bem temperado com boas doses de mistério, misticismo e encantamento. Não à toa, sobrevivem à passagem do tempo e, mesmo em uma era dominada pela tecnologia e pela televisão, continuam a fazer grande sucesso.
Também não é de espantar que muitas das produções teatrais voltadas para o público infantil em cartaz na capital paulista sejam releituras ou adaptações destes clássicos. Crianças, jovens e até mesmo adultos costumam se encantar com a possibilidade de ver, no palco, personagens que já tanto povoaram seus sonhos e suas fantasias. Não raro observamos, nas platéias de espetáculos infantis, pais emocionados, que se envolvem com a trama tanto quanto os filhos.
No entanto, há alguns anos, o dramaturgo Ronaldo Ciambroni e o produtor teatral Luiggi Francesco resolveram desmistificar o universo clássico dos contos de fadas. Depois de redigir duas adaptações de muito sucesso (“A Encrenca dos Três Porquinhos – O Musical” e “A Chapeuzinho e o Lobo”), a dupla agora brinda o público paulistano com um trabalho totalmente diferente, inovador e ousado: “As Princesas do Castelo Encantado”, uma saborosa miscelânea de personagens e enredos que se propõe não apenas a entreter, mas a divertir e educar.
De acordo com Ciambroni, que assina a autoria do texto, as preocupações do mundo moderno são bastante distintas daquelas de outrora. Temas antes desconhecidos hoje são imprescindíveis em qualquer sala de aula, como os cuidados com o Meio Ambiente ou a prevenção contra o uso de drogas. “As crianças evoluíram muito. Aprendem muito mais rapidamente, se inteiram dos problemas sociais cada vez mais cedo e absorvem informações com muito mais facilidade e rapidez do que no meu tempo”, explica. Pensando nisso, Ciambroni desenvolveu um conto de fadas que empresta a personagens clássicos uma dose muito bem humorada de modernidade, sem perder o encanto das fantasias originais.

O enredo: Uma fada madrinha, já envelhecida e cansada de praticar suas magias (nem sempre tão bem sucedidas), decide morar num castelo e transformá-lo numa pensão. Contrata Washington, uma estranha criatura metade homem, metade sapo, para ser o seu mordomo. A partir de então, começa a receber suas futuras hóspedes: Branca de Neve, Cinderela, Rapunzel... Uma a uma as heroínas dos contos de fadas começam a chegar ao castelo, em busca de abrigo. Cada uma vive uma realidade bem diversa do “e viveram felizes para sempre” que conhecemos. Uma vez juntas, elas desconfiam do que está acontecendo no castelo e se unem para desvendar os mistérios que envolvem sua estadia ali.
Com uma elevada dose de humor, marca registrada de Ciambroni - também autor de obras consideradas clássicas na dramaturgia nacional, como “Donana” e “As
Filhas da Mãe” -, as “Princesas” é uma história que promete encantar o público infantil. “Existem coisas das quais não podemos fugir, que é o glamour de todas as princesas, sua beleza e jovialidade, além do uso de bom senso, inteligência, moral e ética para suplantar as dificuldades e, no final, fazer valer a supremacia do bem contra o mal”, elucida o autor.

Elemento humano: O produtor teatral Luiggi Francesco, que também é ator, diretor e empresário, explica que são necessários cuidados muito importantes na hora de colocar no palco uma história com tamanho grau de ousadia e criatividade. “Um dos segredos mais importantes de uma montagem deste nível é escolher um elenco experiente e com competência para transformar o sonho em realidade, sem fugir às características dos personagens”. Para tanto Francesco, que se alterna na direção do espetáculo com o próprio Ciambroni, recrutou algumas “pérolas” do cenário teatral paulistano, como Carla Pagani, atriz consagrada que, além de participações em televisão e cinema, traz no seu currículo a peça teatral “Trair e Coçar é só Começar”, um dos maiores fenômenos teatrais brasileiros de todos os tempos. Impagável como a Fada Madrinha, Pagani constantemente tira gargalhadas dos colegas de elenco, mesmo nos ensaios.
Outra grata surpresa que o espetáculo traz é a presença da atriz e escritora Cibele Dorsa que, mesmo se recuperando de sérios problemas pessoais, aceitou o convite para viver uma das personagens da trama e se entrega, literalmente de corpo e alma, aos ensaios da peça. Completam o elenco a experiente Carmen Sanches, que faz sucesso como uma das desmioladas irmãs de “As Filhas da Mãe”, Alinne Bello, Juliana Cerózi, Vinícius Blanco e Zé Alberto Martins. A coreografia fica a cargo do experiente Roberto Azevedo, um dos ícones brasileiros da dança.
Francesco ressalta, ainda, a necessidade do apuro técnico em todas as etapas do processo de criação do espetáculo. O cuidado maior é com a direção: a dupla Francesco/Ciambroni cria uma atmosfera de desenho animado, conferindo ao espetáculo agilidade, muito ritmo e dinamismo, além de uma marcação cênica estudada e de bom gosto. Esta fórmula já faz sucesso nos outros infantis da companhia e a técnica vem sendo aprimorada, de espetáculo a espetáculo. “Com esse enfoque de desenho animado, conseguimos nos aproximar ainda mais do público infantil, haja vista que é uma linguagem de fácil entendimento, onde os elementos e marcações cênicas tem quase tanta força quanto as falas e ajudam a desvendar todos os pormenores contidos na cena".

Glamour e ressurgimento: Antes mesmo de ir para os palcos – a estreia do espetáculo aconteceu dia 19 de fevereiro -, as “Princesas” causaram bastante expectativa no público. Além da própria temática e do “peso” do elenco, o próprio Teatro Bibi Ferreira é uma atração à parte, uma vez que tem recebido investimentos que possibilitam a sua revitalização. As cadeiras de madeira foram trocadas por poltronas almofadadas, o sistema de ar condicionado foi melhorado, os banheiros sociais foram reformados, o mármore piso do saguão está sendo recuperado. Enfim, uma série de melhorias está atraindo cada vez mais público para esse espaço cultural, considerado um dos mais charmosos e importantes da capital paulistana.
" Amo a liberdade, por isso as coisas que amo deixo-as livres.
Se voltarem é porque as conquistei
Se não voltarem é porque nunca as tive . "
Bob Marley

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

A PÊRA

Quando eu tinha dez anos de idade recebi uma carta da minha mãe
No colégio interno onde passei a minha infância no sul de Minas
Não havia internet.  Telefonemas eram caríssimos.
Minha mãe reportava que meu pai estava doente.  Internado.

Quando viemos para o Rio passar as férias
Ela nos levou a uma visita ao nosso pai no hospital
E ao encerrar a visita fomos para o ponto do ônibus
E meu pai já recolhido na enfermaria.  Derramei-me em lágrimas.

Não entendi uma só palavra que meu pai falou
Minha mãe disse que aquilo era derrame.  As pessoas ficavam assim.

Ainda durante as férias, ela nos enviou a visitá-lo novamente
Mas agora sozinhos, pois já sabíamos o caminho.
Somente os três filhos mais velhos.

Ela colocou numa bolsa algumas peras
Dizia que este era o fruto que ele mais gostava. Fazia calor. 
Além das peras havia outros apetrechos na bolsa
E com o tempo a mesma parecia pesada
Trocávamos a bolsa de posição.   Ora na mão direita, 
Ora na esquerda,ora nos ombros e até nas costas 
Como se fosse uma trouxa.

Antes da visita vistoriamos a bolsa 
E tivemos que jogar as peras fora. 
Pois ficaram amassadas em demasia.

Talvez por causa deste incidente na minha vida
A pêra é o fruto que eu mais aprecio na face da terra
Nem sei se gosto tanto assim de pêra
Mas vou morrer dizendo que este é o fruto mais saboroso

Com o tempo começaram a surgir no comércio casas de frutos naturais
Na década de 70 esse comércio era raríssimo.  Nem sei se existia.
Pasmem!  Um dos sucos mais raros é o composto de pêra com leite
Já andei o Centro do RJ quase todo e não encontro esta composição
Por fim compro o fruto onde eu possa encontrá-lo e preparo em casa.

Toda vez que aprecio o fruto aprecio a memória do meu pai
Mas também sinto a frustração de não poder levar para ele
Seu melhor fruto naquela última visita.

Ao retornar para o sul de Minas recebi outra carta da minha mãe
De tudo que ela escreveu na carta a única frase que eu lembro foi:
“O pai morreu”.
Não me lembro de nada antes desta frase, nem após esta frase
Mesmo porque parei de ler a carta.
Coloquei a carta sobre a mesa da secretaria
Saí sem que as pessoas percebessem e chorei por quase um dia
E continuei a chorar por semanas.

Foi o pior choro da minha curta vida até então.  Apenas onze anos.
Sinto o amargo daquele choro até hoje.
Sensação esquisita saber que eu nunca mais iria ver meu pai.

No meu íntimo me sinto um incompetente por não ter conseguido
Levar o melhor fruto que meu pai apreciava na sua vida
Num momento que ele mais precisava das coisas que lhe agradava


PRESTE ATENÇÃO:
Vou dizer uma coisa para você
Procure saber qual é o melhor fruto
Que o seu ente querido mais aprecia

Não meça esforços 
Cultive este fruto no seu coração.
Leve este fruto todos os dias para seu ente querido
Não deixe que este fruto fique deteriorado
Transporte este fruto com carinho no seu coração
Proteja seu coração do meio externo que agride e viola
As coisas sensíveis que a nossa família necessita

Todos somos crianças diante de Deus
Mas a cobrança de não termos feito o melhor
Para quem amamos causa um amargo irreparável na alma

É um fel que brota na alma depois que ouvimos
A pior frase de nossas vidas. 
Todos vamos ouvi-la um dia.  Não tem como fugir.

Depois não adianta procurarmos o fruto por aí
Para amenizarmos a dor das lembranças. 
Não haverá comércio que lhe forneça o fruto.
Fruto que une corações em amor vem de Deus
E devem ser compartilhados enquanto vivemos.


Gálatas 5: 22 -  Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.


domingo, 26 de fevereiro de 2012

A programação do MuBE traz artistas reconhecidos internacionalmente, mas também abre espaço para novos nomes do panorama artístico nacional. Confira a programação de exposições.
              

MuBE
Museu Brasileiro da Escultura
Av. Europa, 218 - São Paulo - Brasil
11 2594-2601 - mube@mube.art.br

horário de funcionamento
Terça a domingo
das 10:00 as 19:00 hrs
O Relógio
Passa, tempo, tic-tac
Tic-tac, passa,
hora Chega logo, tic-tac
Tic-tac, e vai-te embora
Passa, tempo
Bem depressa
Não atrasa
Não demora
Que já estou
Muito cansado
Já perdi
Toda a alegria
De fazer
Meu tic-tac
Dia e noite
Noite e dia
Tic-tac
Tic-tac
Dia e noite
Noite e dia
Vinicius de Moraes

sábado, 25 de fevereiro de 2012

Depois de longo período de estudos, sem expor novos trabalhos, Nilo de Almeida retoma seu percurso com três instalações. Duas delas – O Cubo Azul e Uma Cidade no Céu são revisitações de processos anteriores; a instalação Mil Mickeys aponta para novos caminhos, estabelecendo conexões com a memória, mas, também, dialogando com questões contemporâneas. Como traço comum dos trabalhos de Nilo, a escolha de temas do afeto da memória, a relação lúdica e dialógica com o público e a constante referência às linhas evolutivas da arte. Visitação: até 29 de fevereiro de 2012.
Teatro Lauro Gomes.
Rua Helena Jacquey, 171, Rudge Ramos. Tel: 4368-3483.

Um show em homenagem aos 80 anos de João Gilberto, artista dos mais importantes
da história da música brasileira e reconhecido como o mais influente músico da
bossa nova. Nos dias 2, 3 e 4 de março (sexta a domingo), às 20 horas, na sede
do Itaú Cultural, em São Paulo, os músicos Renato Braz, Proveta e Edson
José Alves interpretam a obra do mestre.

A apresentação relê a obra de João Gilberto como compositor e intérprete;
segundo Renato, a base será o trabalho do homenageado, mas eles tomaram a
permissão de interpretá-lo de uma forma pessoal.
Ele fará a voz; Edson Alves,violões; Proveta, clarinete e saxofone.
Entre as canções que devem ser executadas estão:
Eu Vim da Bahia, Caminhos Cruzados e Pra que discutir com Madame?.
Confira as biografias dos músicos participantes: O cantor
paulistano Renato Braz tem cinco CDs gravados: Renato Braz, de
1996, indicado ao Prêmio Sharp na categoria Revelação;História Antiga, de
1998, Outro Quilombo e Quixote, ambos de 2002 – ano em que venceu
o 5º Prêmio Visa de MPB – e Por Toda a Vida, de 2006, vencedor do Prêmio
Rival Petrobras, na categoria Cantor Popular. Atualmente, finaliza o
sexto, Casa de Morar. Completa 13 anos de carreira internacional, com
shows na Alemanha e nos Estados Unidos e um álbum feito em colaboração com o
saxofonista Paul Winter, ainda não lançado no Brasil.
Nailor Azevedo, o Proveta, é considerado um dos principais
instrumentistas brasileiros, atuando também como arranjador, professor e
maestro.
É líder da Banda Mantiqueir desde 1991 e acompanha com
frequência artistas nacionais, como Milton Nascimento, Gal Costa, Edu Lobo, Raul
Seixas, Joyce, Yamandú Costa e Mônica Salmaso, e internacionais, como Berry
White, Benny Carter e Albert Collins.Edson José Alves é músico
profissional desde 1970. Formou-se pelo Conservatório Musical Ernesto Nazareth e
se aperfeiçoou em música de câmara e flauta transversal com David Evans.
Acompanhou Ray Coniff e Shirley Bassey na década de 1970, assim como participou
do Projeto Pixinguinha, tocando com Cartola e Nelson Cavaquinho; nas décadas de
1980 e 1990, foi arranjador e coordenador artístico do Selo Eldorado, trabalhou
com Dominguinhos e Paulo Vanzolini e se tornou solista da Orquestra Jazz
Sinfônica do Estado de São Paulo; nos últimos anos, tocou com Passoca, Antonio
Nóbrega e a Banda Mantiqueira.

80 Anos de João Gilbertocom Edson José Alves,
Proveta e Renato Brazsexta
2, sábado 3 e domingo 4 de março 2012às
20hVisite o hotsite dedicado à bossa nova
[indicado para todas as idades]
entrada franca — ingressos distribuídos com meia hora de
antecedência

Itaú Cultural
Avenida Paulista 149 – Paraíso – São Paulo SP
Próximo à Estação Brigadeiro do Metrô
informações: 11 2168 1777 outube.com/itaucultural twitter.com/itaucultural facebook.com/itaucultural
:

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012


O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa
dos acontecimentos políticos. Ele não sabe que o custo de vida, o preço do
feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do
remédio dependem das decisões políticas. O analfabeto político é tão
burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe
o imbecil que da sua ignorância política nasce a prostituta, o menor
abandonado, e o pior de todos os bandidos que é o político
vigarista, pilantra, o corrupto e lacaio dos exploradores do povo." Nada
é impossível de Mudar"Desconfiai do mais trivial, na aparência
singelo. E examinai, sobretudo, o que parece habitual. Suplicamos
expressamente: não aceiteis o que é de hábito como coisa natural, pois em
tempo de desordem sangrenta, de confusão organizada, de arbitrariedade
consciente, de humanidade desumanizada, nada deve parecer natural nada
deve parecer impossível de mudar." Privatizado"Privatizaram sua vida,
seu trabalho, sua hora de amar e seu direito de pensar. É da empresa privada
o seu passo em frente, seu pão e seu salário. E agora não contente
querem privatizar o conhecimento, a sabedoria, o pensamento, que só à
humanidade pertence."
bertold brecht

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Exposição 100 Fotos de 2011

O Senado inaugurou dia 9 de fevereiro a exposição 100 Fotos de 2011, com registros das votações, manifestações e momentos relevantes da Casa no ano passado. Coordenada pela Secretaria Especial de Comunicação Social (Secs), a exposição foi montada a partir de um acervo de quase 290 mil fotos produzidas pelos repórteres fotográficos do Senado, que fazem, em média, 1.400 registros por dia.
A mostra traz imagens que começam com a posse da primeira mulher na Presidência da República e percorrem os corredores do Senado por meio de registros das discussões de temas como a reforma política e a divisão dos royalties do petróleo. Cenas de momentos importantes das comissões e do Plenário denotam o trabalho legislativo do Senado em 2011.A exposição também registra a intensa participação popular, como ocorreu no caso dos projetos que tratavam da criminalização da homofobia e do novo Código Florestal, além de manifestações contra a corrupção e a luta dos estudantes pela valorização da educação. Há, ainda, fotos de momentos tristes, como o velório do ex-vice-presidente José Alencar, em que o presidente do Senado, José Sarney, cumprimenta a viúva, Mariza Gomes.A produção dos fotógrafos da Secretaria Especial de Comunicação Social pode ser conferida até o dia 24 no espaço Senado Galeria, localizado no corredor de acesso ao Anexo I.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Vale a Pena Conhecer


Orquestra Paulistana de Viola Caipira
Desde 29/10/1997 , data de sua fundação , a OPVC
vem cruzando as fronteiras e encantando as platéias ao interpretar na viola
caipira, além dos esperados clássicos da música raiz, aquilo que a caracterizou
e a tornou um diferencial dentre as orquestras congêneres: interpretações e
arranjos criativos e inusitados da música erudita, MPB e world music.
Telefone / Fax :
(11) 2682.7780Cel : (11) 7147.1044
Rua Jorge Augusto, 606
Vila Matilde - São Paulo - SP - Brasil

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

117 - NUNCA VI

Às vezes nos sentimos privilegiados
Por testemunhar grandes feitos na vida.
Todavia, rogo sempre a Deus que me abençoe
Testemunhando, com os meus olhos, 
SUA grandeza nas pequenas coisas.

É o tipo de coisa que
Não queremos ouvir as pessoas contarem
Não queremos assistir em documentários
Não queremos ler nos livros

Queremos sim, contar para as pessoas
Queremos ser parte do documentário
Queremos escrever as páginas dos nossos livros

Coisas do tipo
Ver uma flor desabrochando.  Nunca vi.
Ver uma ave saindo do ovo ao nascer.  Nunca vi.
Ver os gatinhos nascendo.  Nunca vi.
Ver o “joão-de-barro” construir sua casinha. Nunca vi.

Puxa!!
Há tantos outros grandiosos pequenos feitos de Deus
Que eu . . . .  Nunca vi.


Pr. Ronaldo Cunha

Deuteronômio 3:24 -  Senhor DEUS! já começaste a mostrar ao teu servo a tua grandeza e a tua forte mão; pois, que Deus há nos céus e na terra, que possa fazer segundo as tuas obras, e segundo os teus grandes feitos?

Museu da Bíblia


Não é preciso ser religioso para curtir esse museu interativo que conta a história da bíblia. Numa estante fechada estão expostos 144 volumes escritos em vários idiomas e dialetos. Há também edições do Antigo Testamento em hebraico, grego, português e inglês, uma reprodução da bíblia germânica traduzida por Lutero em 1545, e a réplica da prensa de Gutemberg, que imprimiu a primeira bíblia da história. As crianças se entretêm com os audiovisuais sobre personagens bíblicos.
Av. Sebastião Davino dos Reis, 672
(Centro de Eventos de Barueri) (V. Porto)
(11) 4168-6225
Preço: Grátis
Horário: De terça á domingo das 9h as 17h

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012


Nesta época festiva,
Deseja-se a todos os Povos...
Um Carnaval Cheio de Páscoas...
E um Natal cheio de Anos Novos....
Que as Renas do Pai Natal,
Surjam nos Céus a Voar,
Tilintando alegremente..
.Com o Rudolph a piscar!
Que o Pai Natal e os Duendes,
Façam raves a bombar...
E não se baralhem nas botas...
Na altura de ofertar!...
Que o presépio de Natal,
Tenha estrelas sorridentes,
Ovelhinhas e Pastores...
E Reis Magos bué Contentes!
Que tudo surja em sorrisos,
Com muita Paz e Carinho...
E que o coelho da Páscoa,
Se esmere no sapatinho!
Que se tenha nesta quadra,
Muito Amor e Alegria...
Rabanadas e filhóses
Arroz doce e Aletria!

sábado, 18 de fevereiro de 2012


«O mundo só vai prestar
Para nele se viver
No dia em que a gente ver
Um gato maltês casar
Com uma alegre andorinha
Saindo os dois a voar
O noivo e sua noivinha
Dom Gato e Dona Andorinha»

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

:: O retorno da coleção Tamagni: até as estrelas por caminhos

12 JAN - 11 MAR
O Museu de Arte Moderna de São Paulo retoma sua história de forma analítica
com a exposição O retorno da Coleção Tamagni: até as estrelas por caminhos
difíceis, que abre no dia 12 de janeiro (quinta-feira), a partir das 20h.
Primeira exibição completa desde 1968 da doação póstuma de Carlo Tamagni
(colecionador e conselheiro do museu) realizada em 1967 ao Museu de Arte Moderna
de São Paulo, a mostra com curadoria de Felipe Chaimovich e Fernando Oliva
promove um debate sobre o papel do MAM-SP durante sua trajetória. Isso abrange
desde a perda de toda sua coleção original, doada à USP em 1963, até a chegada
do espólio de Tamagni em 1967 e a volta a uma sede própria (o mesmo prédio de
hoje) em 1969, chegando aos dias atuais.
A mostra, realizada simultaneamente na Grande Sala e na Sala Paulo
Figueiredo, tem entrada gratuita durante as férias escolares, no período de 12
de janeiro a 22 de fevereiro de 2012. O coletivo Fora do Eixo comanda o DJ
Residente de 2012, projeto que propõe sons para os diversos ambientes do museu,
incluindo os espaços expositivos. Acompanhando a primeira exibição de 2012, o
coletivo explora composições colaborativas entre seus integrantes e convidados,
e faz apresentação no coquetel de abertura.
Em vez de assumir uma postura descritiva ou definitiva diante da trajetória
do MAM-SP, os curadores partiram do conceito de reencenação do filósofo e
historiador britânico Robin George Collingwood (1889-1943), que considera que a
remontagem literal de eventos passados é impossível, dadas as diferenças
incontornáveis de espaço e tempo. Na visão de Collingwood, é possível fazer uma
reencenação dos fatos passados, ou seja, pode-se remontá-los dentro das
restrições inerentes, e o público é quem vai completar esse processo, por meio
da sua presença no espaço da exposição e sua participação, considerando-se a
distância temporal e a análise dos vários fatores que contribuíram para tal
acontecimento. A própria montagem da exposição contribui para esse
resultado.
Além de contar com a exibição completa da Coleção Tamagni pela primeira vez
na sede definitiva do museu, já que sua primeira e única exposição total foi
realizada em 1968 em um auditório emprestado na avenida Paulista, a mostra
tensiona a heterogeneidade desse espólio com a inclusão de algumas obras
contemporâneas, principalmente da Máquina curatorial, de Nicolás Guagnini. Essa
obra, constituída por diversos painéis em forma de hélice, será o suporte de
obras e de documentos presentes na exposição. Com isso, a participação do
público é novamente ressaltada, já que, girando as estruturas da Máquina
curatorial, os espectadores podem mudar a configuração das obras, fazendo novas
combinações entre elas e permitindo novas interpretações.
A Coleção Tamagni tem teor predominantemente modernista, com obras de Tarsila
do Amaral, Aldo Bonadei e Francisco Rebolo, mas flerta sutilmente com a
vanguarda dos anos 1940-50 nos trabalhos de Fernando Lemos, Livio Abramo e
Arnaldo Pedroso d’Horta, entre outros. Para salientar ainda mais os diferentes
rumos que o acervo do MAM foi tomando ao longo de sua história, trabalhos
contemporâneos como Totó treme-terra, do coletivo Chelpa Ferro, e Palhaço com
buzina reta – monte de irônicos, de Laura Lima, se espalham pelo espaço
expositivo.
Um aspecto crucial da história do museu ganhará novas possibilidades de
compreensão: o momento entre 1963 e 1968, quando, destituído de seu acervo
original, o Museu de Arte Moderna de São Paulo existe apenas como nome, sem
obras e sem um espaço físico de fato que não exíguas salas administrativas,
enquanto conselheiros, como Giselda Leirner e Henrique Mindlin, lutavam pela
manutenção da existência, do nome e do papel do MAM na cena artística nacional e
internacional.
Essa etapa dramática é retomada em documentos e cartas que são resultados de
uma pesquisa realizada por Fernando Oliva, como as enviadas pela diretoria do
MAM ao magnata norte-americano e fundador do MoMA Nelson Rockefeller. Figura
também na mostra a carta redigida pelo crítico Mario Pedrosa, na qual ele fala
de “medidas para salvar o MAM de São Paulo” e de “observações destinadas ao
futuro presidente do museu”.
Esses aspectos da retomada do museu e de sua volta a um papel atuante e
relevante no cenário artístico nacional ganham uma nova dimensão com documentos
até então desconhecidos do grande público, que então pode compreender os
bastidores não só do MAM, mas da consolidação de uma cena artística brasileira
como um todo. Partindo da trajetória errática do Museu de Arte Moderna de São
Paulo, emblemático e, hoje, comprometido com o debate das novas questões
surgidas a cada dia no mundo da arte no Brasil e exterior, o espectador percorre
uma história que vai do passado em direção aos novos caminhos da arte no século
XXI.
Museu de Arte Moderna
de São Paulo :: Parque do Ibirapuera, portão 3 :: Tel.: 55 (11) 5085-1300

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

O Museu de Arte de São Paulo (MASP), nesta quarta-feira (25) apresentará 370 perças e obras originais do período tardio da República Romana e primeiros séculos do Império Romano que revelam fatos e costumes de Roma e seus imperadores. O acervo sai da Itália pela primeira vez de importantes instituições com o Museu Arqueológico Nacional de Florença, o Museu Nacional Romano, o Museu Nacional de Nápoles, o Antiquário de Pompeia, o Museu Arqueológico de Fiesole e a Galeria Uffizi. A exposição marca a abertura da programação do MASP no Momento Itália Brasil 2011-2012.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Bilhete

Se tu me amas, ama-me baixinho
Não o grites de cima dos telhados
Deixa em paz os passarinhos
Deixa em paz a mim!
Se me queres,enfim,tem de ser bem devagarinho,
Amada,que a vida é breve, e o amor mais breve ainda...

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012


Concurso de Crônicas Laura Ferreira do Nascimento 2012 -
Promovido pela Associação de Cultura e Turismo de Maracaí
(ACULTIM) e pela Associação de Defesa e Proteção do Patrimônio Público e dos
Direitos do Cidadão de Maracaí / SP (ADPCIM).
Tem por objetivo estimular a produção literária, incentivar a cultura e promover a conscientização. Textos em língua portuguesa sobre o tema Nepotismo.
Inscrições até 28 de junho de 2012.
Mais informações:

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Vamos ao Teatro

As informações abaixo foram checadas em 19/1/2012. Após essa data, sugerimos contatar o local para confirmar as informações.

Hair
Durante a Guerra do Vietnã, uma tribo de hippies de Nova York apresenta suas personalidades distintas, seus dilemas e seu peculiar estilo de vida. A trama principal gira em torno de Claude, jovem convocado para a batalha, seu amigo Berger, uma espécie de líder da tribo, a grávida Jeanie e a idealista Sheila.
O musical já teve uma adaptação para o cinema, em 1979, dirigida por Milos Forman.Gênero: MusicalDireção: Charles MöellerCom: Hugo Bonemer, Fernando Rocha, Kiara Sasso e outros.
Duração: 130 minutos
Classificação: Não recomendado para menores de 14 anos.
Texto: Gerome Ragni e James Rado
Adaptação: Claudio BotelhoTeatro

Shopping Frei Caneca
R. Frei Caneca, 569, 6º andar - Consolação - Centro.
Telefone: 3472-2229.
Aceita os cartões Amex, Diners, MasterCard, Visa.
Ingresso: R$ 130 (qui. e sex.) e R$ 160 (sáb. e dom.).
Não tem área para fumantes. Não aceita cheques.
Não aceita reservas. Tem ar-condicionado.
Vende ingresso pelo telefone. Tem acesso para deficiente.
Tem local para comer. 600 lugares.
Estac. (R$ 7 p/ 3 h mais h adicional).
Quinta: 21h.
Sexta: 21h30.
Sábado: 18h e 21h30.
Domingo: 18h.
A partir de 13/01/2012 (até 29/4).


Fonte: http://guia.folha.com.br/teatro/1024632-cinco-grandes-musicais-estreiam-em-sp-ate-marco-saiba-quais.shtml

sábado, 11 de fevereiro de 2012

A Música está de Luto

A cantora Whitney Houston morreu aos 48 anos neste sábado (11), segundo informações da agência de notícias Associated Press. De acordo com a empresária da cantora, Kristen Foster, as causas da morte e o local em que a artista foi encontrada ainda são desconhecidos. Ela era considerada a rainha da música pop até que sua voz e imagem foram destruídas pelo uso de drogas e a vida pessoal tumultuada com seu último marido, o cantor Bobby Brown.

No auge, Whitney foi considerada a "garota de ouro" da indústria fonográfica. Entre o meio dos anos 80 e o fim dos anos 90 , ela foi uma das artistas que teve o maior número de vendagens de discos. Ela maravilhava as pessoas com sua voz poderosa, criada na Igreja Batista, mas ao mesmo tempo palatável para o gosto do grande público.
Ela deixa uma filha, Bobbi Kristina, fruto de seu casamento com Bobby Brown. Eles ficaram juntos entre 1992 e 2007.

Fonte: www.uol.com.br

No meio das trevas, sorrio à vida, como se conhecesse a fórmula mágica que transforma o mal e a tristeza em claridade e em felicidade. Então, procuro uma razão para esta alegria, não a acho e não posso deixar de rir de mim mesma. Creio que a própria vida é o único segredo.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

A Arte nas Alturas.


A Esquadrilha da Fumaça, composta por 8 aviões
Tucano 750 turbo hélice da Embraer , fará 55 manobras numa apresentação de 40
minutos para o aniversário da cidade. A apresentação será no dia 17 de março,
às 15 horas, no aeroporto Eribelto Manoel Reino. O capitão Franklin e o
sargento Senarelli realizaram visita precursora hoje (08/02) para definir os
detalhes da apresentação. Virão a São José do Rio Preto 16 pilotos da Força
Aérea Brasileira, sendo 8 pilotos e 8 mecânicos, um para cada aeronave. Um dos
aviões é reserva e permanecerá em solo. O sargento Franklin informou
que há duas opções de apresentação: uma para bom tempo e outra para mau tempo.
Com bom tempo as aeronaves realizam manobras verticais e com tempo nublado essas
manobras são substituídas por outras que evitem vôo próximo às nuvens. O
show da esquadrilha será no antigo Terminal de embarque do aeroporto. Uma área
gramada será isolada para o acesso do público, que poderá ver bem de perto a
decolagem e o pouso das aeronaves. Os aviões Tucano podem atingir velocidade de
525 km/hora. No esquema de segurança há além de ambulâncias para suporte
terrestre, a presença do helicóptero Águia da Polícia Militar. Esta será quarta
apresentação da esquadrilha na cidade. A última foi em 2005. Após a visita
precursora realizada hoje, os aviões retornam à cidade somente no dia da
apresentação. A expectativa é que um público de milhares de pessoas compareça
para ver as manobras.
Ellen Lima

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Frisson - Tunai

Meu coração pulou
Você chegou, me deixou assim
Com os pés fora do chão
Pensei: que bom...
Parece, enfim acordei
Pra renovar meu ser
Faltava mesmo chegar você
Assim sem me avisar
Pra acelerar...
Um coração que já bate pouco
De tanto procurar por outro
Anda cansado
Mas quando você está do lado
Fica louco de satisfação
Solidão nunca mais
Você caiu do céu
Um anjo lindo que apareceu
Com olhos de cristal
Me enfeitiçou
Eu nunca vi nada igual
De repente...
Você surgiu na minha frente
Luz cintilante
Estrela em forma de gente
Invasora do planeta amor
Você me conquistou
Me olha, me toca, me faz sentir
Que é hora, agora, da gente ir

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

'Japão em Preto e Branco' está no Jardim Guanabara


A mostra Japão em Preto e Branco, traz fotos que envolvem todo o tipo de cultura e arquitetura japonesa. Marco Fukuyama, autor das obras, traz cerâmica, restaurantes típicos, templos históricos, o Castelo de Ōsaka-jō, entre outras curiosidades do país em fotos produzidas em preto e branco.A cultura japonesa foi influenciada pela Europa e pela América no século passado, mas apesar das influências, o Japão gerou um complexo único de artes, com técnicas artesanais (bonecas, cerâmica), espetáculo (dança, kabuki), música (Sankyoku, Joruri e Taiko), histórias em quadrinhos (mangá), entre outras.
Horário: ter a sex, das 9 às 17h; sab, das 9 às 13h.
Até quarta-feira 29 fevereiro 2012.
Em Belo Horizonte, MG.

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Planisfério de Martin Waldseemüller (1507), no qual aparece pela primeira vez num mapa o nome "América

Modernismos no Brasil" é excelente recorte de coleção do MAC-USP


Figuras (1945), de Pablo Picasso (foto à esq.), e Figura (1927-1928), de Ismael Nery (foto à dir.): semelhanças

Enquanto não resolve a pendenga da mudança para a nova sede, no antigo prédio do Detran, o MAC-USP abre em seu espaço no Pavilhão da Bienal a mostra Modernismos no Brasil. Trata-se de um excelente recorte na coleção do museu. Composta de 150 obras, a seleção discute a trajetória da arte moderna no país ao longo do século passado. A curadoria muito bem tramada por Tadeu Chiarelli investiga relações entre os trabalhos de artistas brasileiros e estrangeiros no período. Premiada na primeira Bienal, em 1951, a escultura "Unidade Tripartida", do suíço Max Bill, posicionada logo no início do percurso, deixou rastros decisivos na geração de Lygia Clark e Waldemar Cordeiro. Os antigos conceitos de representação espacial, por sua vez, sofrem questionamentos na tela rasgada de Lucio Fontana e num móbile de Alexander Calder, também modelos fortes para concretistas e neoconcretistas.

sábado, 4 de fevereiro de 2012

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

MENINA, MULHER !




MENINA, MULHER!

Desperta a lua no horizonte
Cercada de estrelas reluzentes,
Dentre todas uma cintilante
Que ofusca em raios contagiantes.

Uma menina...uma mulher!
Desperta o amor na expressão singela.
Seus olhos sorriem na essência,
Na essência feliz...de mulher.

Bailando como uma libélula
Voa a sua liberdade cintilante,
E como um diamante polido
Escreve na magia do tempo,
A sua estrada brilhante.

AMARILIS PAZINI AIRES

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

O Palácio dos Bandeirantes, de 23 de janeiro até 18 de março, oferece a exposição
“Arte Sacra nos Palácios do Governo: Aquisição, Conservação, Exposição“ reunindo cerca de 60 obras de arte sacra do governo paulista. A coleção do governo começou a partir de 1970, quando foi constituído um grupo de especialistas para selecionar obras de arte.O acervo é formado por uma grande diversidade de estilos artísticos e procedências, do século XV ao XX. Os maiores destaques são objetos litúrgicos em prata, móveis de sacristia, balaustradas, fragmentos, talhas, bancos de igreja, oratórios, imagens de santos, madonas, representações da Virgem Maria e uma série de pinturas cusquenhas. Destaque para a escultura "São José de Botas" de Aleijadinho, a pintura "A Flagelação de Cristo", do Frei Agostinho de Jesus, entre outras.

Serviço Arte Sacra nos Palácios do Governo: Aquisição, Conservação, Exposição
Data: de 23 de janeiro a 18 de março
Horário: de terça a domingo, das 10h às 17h
Local: Palácio dos Bandeirantes
Endereço: Avenida Morumbi, 4.500 - MorumbiGrátis
Telefone: (11) 2193-8282